Município, Servicos

O que está incluído na fatura da água

14, Abril 2015
  • Tarifas de água
    Tarifas de água

Diversas alterações ao quadro legal dos serviços e tarifários de saneamento e gestão de resíduos obrigaram as autarquias locais a alterações nos tarifários da água, prevendo, particularmente, a recuperação obrigatória dos custos suportados. A nova estrutura de tarifas em Lisboa inclui a eliminação da taxa de conservação de esgotos e a criação de uma tarifa para os resíduos urbanos mas a câmara procurou evitar o aumento das faturas.  

Com a preocupação de penalizar o mínimo possível as famílias residentes na cidade de Lisboa, a Câmara Municipal aprovou a nova estrutura com algumas reduções e ajustamentos no tarifário, o que coloca desde logo a cidade num patamar inferior à média da Área Metropolitana, salientando-se:


As famílias com menores rendimentos vêm a sua tarifa reduzida. Por exemplo, uma família com um consumo mensal de 7,4 metros cúbicos de água tem uma redução nas tarifas de saneamento e resíduos de 68 por cento, face ao tarifário geral.

- Serão feitos ainda ajustamentos nos tarifários para as famílias numerosas. Uma família com sete pessoas, por exemplo, que tenha um consumo mensal de 25 metros cúbicos, terá uma redução na tarifa de saneamento em 35 por cento.


Compreender a fatura

Para o exemplo de um consumo doméstico médio mensal de 7,4 metros cúbicos de água, o cidadão paga 7,03 euros respeitantes à água e 29 cêntimos de taxas para a Administração Central. O restante destina-se a serviços essenciais que a Câmara Municipal presta à cidade de Lisboa, designadamente saneamento (5,08 euros), resíduos urbanos (3,50 euros) e consumos de água coletivos como lavagem de ruas, rega de jardins e chafarizes (82 cêntimos).

Consulte neste folheto uma explicação da fatura da EPAL para este exemplo.

Array
Mais notícias sobre:
Município, Servicos