Ajuda, Cultura e Lazer, Educação

Orquestra Jovem Municipal Geração Lisboa regressa ao Palácio da Ajuda

13, Fevereiro 2016

A Orquestra Jovem Municipal Geração Lisboa, dirigida pelo maestro Jorge Camacho, apresentou-se uma vez mais ao público de Lisboa, num regresso à Sala Dom Luis do Palácio Nacional da Ajuda, onde teve lugar, em 2015, o seu concerto inaugural.

Inicialmente integrado nas comemorações do Ano Novo no Terreiro do Paço, e interrompido devido à chuva, acontece finalmente neste dia 13 de fevereiro, agora com a “garantia de boas condições logísticas e apresentação da totalidade do repertório preparado”.

Desta feita, e apesar da chuva persistente em Lisboa, o concerto decorreu sem sobressaltos, neste edifício histórico (classificado como Monumento Nacional desde 1910) no alto da Calçada da Ajuda, proporcionando aos artistas e ao público  “as comodidades do agora” e “a excelência e majestade de ontem”.

Catarina Albergaria, vereadora da Educação da Câmara Municipal de Lisboa – que apoia este projeto –, assistiu a mais uma brilhante atuação destes jovens, que demonstraram um nível de aprendizagem bastante avançado, justificando a aposta e o investimento da autarquia na orquestra municipal.

Violino, viola, violoncelo, contrabaixo, flauta, oboé, bombardino, clarinete, saxofone, trompa, trompete, trombone, tuba, percussão, compunham os vários grupos instrumentais, acompanhados, em algumas peças, por uma animada e justificada coreografia. Hallelujah (da oratória O Messias) de Handel, e Prelúdio de Te Deum, de M. A. Charpentier, foram as peças mais aplaudidas da tarde.

As cerca de 300 pessoas, que encheram por completo esta sala do Andar Nobre – com uma acústica excelente – ouviram obras de M. Mussorgsky, M. A. Charpentier, Richard Meyer,  G. Hendel, G. Bizet, Tchaikovsky, M. Issac, M. Artés. No final, maestro e músicos foram brindados com uma ovação de pé, e direito a encore.

A Orquestra Jovem Municipal Geração Lisboa (OJMGL) foi criada em 2015, no contexto da segunda fase do  Programa Orquestra Geração, que integra “crianças e jovens oriundos de contextos sociais extremamente diversificados de bairros onde o tecido familiar é muito frágil”.

O Programa, “com uma componente formativa centrada no trabalho de grupo”, visa “contribuir para a inserção e desenvolvimento das crianças e jovens, promover a sua autoestima e a das suas famílias, aproximar os pais do processo educativo dos filhos, fomentar a igualdade de oportunidades, combater o abandono e insucesso escolar e conter a exclusão social”.

Neste primeiro ano de atividade, a OJMGL participou já em diversos eventos, com destaque  para as cerimónias do 5 de Outubro nos Paços do Concelho de Lisboa, e um concerto de angariação de fundos, no teatro Municipal São Luiz, acompanhando o fadista Camané.


Array
Mais notícias sobre:
Ajuda, Cultura e Lazer, Educação