Intervenção social

Ouvir as vozes da cidade

22, Março 2018
Como agir, como trabalhar em rede, o que faz falta para um melhor acolhimento dos migrantes na cidade de Lisboa, foram questões que Ricardo Robles, quis ver respondidas para desenvolver um plano estratégico que agora se começa a desenhar.

O vereador dos Direitos Sociais da Câmara Municipal de Lisboa, Ricardo Robles, esteve presente, no Mercado de Culturas, no dia 22 de março, em mais uma das sessões participativas que a autarquia tem vindo a promover para melhorar a integração de migrantes na cidade.

“Ouvir as vozes da cidade, participar, partilhar experiências é a resposta para se construir essa cidade intercultural que é Lisboa. Só nesta freguesia temos 92 nacionalidades. A ideia é a de uma cidade refúgio que receba bem todos e todas. Uma cidade que recebe bem os turistas deve, também, saber acolher quem nos procura para viver”, afirmou o autarca na presença da presidente da junta de freguesia de Arroios, Margarida Martins. 

No âmbito da elaboração do Plano Municipal para a Integração de Migrantes de Lisboa 2018-2020 (PMIML), decorreram durante os dias 15, 20 e 22 do mês de março, no “Mercado de Culturas”, sito na freguesia de Arroios, Mercado do Forno do Tijolo, três sessões participativas que se destinaram a  envolver a comunidade, parceiros e instituições que operam nesta área com o principal objetivo: obter informação sobre as realidades locais e recolher propostas e contributos para uma plena integração.

Com forte adesão e participação, estas assembleias trouxeram a debate as muitas dificuldades encontradas pelas pessoas migrantes, assim como a forma de melhorar o acesso aos serviços de acolhimento e integração, ao emprego, a uma habitação condigna, aos serviços públicos de saúde e aos serviços de solidariedade e resposta social.

De salientar que no Mercado de Culturas está em exposição até 31 de maio um trabalho do artista plástico Osvaldo Barbosa, 15 retratos de gentes que surgiram na sua vida desenhados a lápis de grafite ou carvão. Também este artista nascido em Angola e que cresceu em São Tomé e Príncipe é agora um cidadão lisboeta. No regresso dos Jogos Olímpicos de Atlanta aqui ficou para representar o Sport Lisboa e Benfica em Atletismo. Hoje trabalha na Casa dos Direitos Sociais, um projeto da autarquia.

Array
Mais notícias sobre:
Intervenção social