Cultura e Lazer, Município, Urbanismo

Prémio Óscares do Imobiliário para o Cine-Teatro Capitólio

19, Abril 2017

O Cine-Teatro Capitólio foi distinguido com um “Óscar” do Imobiliário na categoria de Equipamentos Coletivos. O troféu foi atribuído ao imóvel reabilitado recentemente pela Câmara Municipal de Lisboa durante a Gala dos «Óscares do Imobiliário», evento organizado pela Magazine Imobiliária. Trata-se de uma cerimónia anual na qual são atribuídos os Prémios ao que de melhor se tem feito em Portugal no setor nos últimos anos.

A edição de 2017 decorreu, no dia 17 de abril, no Palacete do Hotel Tivoli e reuniu cerca de 200 individualidades, empresas e associações da área do  imobiliário.

O projecto original do Capitólio, com início em 1925, da autoria do Arq. Cristino da Silva, foi inaugurado no ano de 1929, visou a construção de uma grande sala de espetáculos sobre a qual se dispunha um rasgado terraço, aberto à população da cidade, criando um espaço cosmopolita e moderno que se associava ao espírito de "glamour" tão em voga na época.

Em 1936, o edifício é adaptado ao cinema sonoro, com a instalação de um balcão e dois "foyers" laterais, fato que o vem descaracterizar.  Neste contexto surgiu o concurso de repensar o Parque Mayer e de reabilitar o Capitólio, devolvendo-lhe a dignidade perdida.

A intervenção agora concluída, da autoria do Arq. Souza Oliveira, repôs o edifício na sua traça original, introduzindo uma melhoria do seu desempenho para responder às exigências dos atuais padrões de produção contemporânea de teatro/cinema e aos níveis de segurança exigidos pelas Normas Europeias. Foi necessário compatibilizar meios técnicos “mais pesados”, com a “leveza” do edificado, trabalhando na base compreensível da “intocabilidade” exigida pelo Capitólio para manter a sua característica de peça arquitetónica e linhas modernistas deste edifício do início do século XX.

Com a conclusão da reabilitação do teatro Capitólio, edifício central no recinto do Parque Mayer, conseguiu-se uma intervenção cuidada e exemplar, que respeita a memória do passado preservando e valorizando a história daquela sala de espetáculos. Este equipamento dá um forte contributo para dinamização desta zona da cidade.Um mar de gente na Avenida da Liberdade a correr para 2017

Mais notícias sobre:
Cultura e Lazer, Município, Urbanismo