Arroios, Município, Santa Maria Maior

Procissão de Nossa Senhora da Saúde

08, Maio 2016
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, integraram o tradicional cortejo processional que percorre a Mouraria, homenageando Nossa Senhora da Saúde.
  • Procissão de Nossa Senhora da Saúde
    Procissão de Nossa Senhora da Saúde

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, integraram o tradicional cortejo processional que percorre a Mouraria, homenageando Nossa Senhora da Saúde.

Decorreu no dia 8 de maio a tradicional procissão de Nossa Senhora da Saúde, percorrendo diversas artérias da Baixa e da Mouraria. Com início na singela mas emblemática Ermida de Nossa Senhora da Saúde, localizada entre a Praça de Martim Moniz e a Rua da Mouraria, o cortejo processional abriu com a imagem de S. Jorge sobre um cavalo, escoltada, como é habitual por um destacamento montado do Regimento de Cavalaria da Guarda Nacional Republicana.

Atrás do andor da santa, orago da ermida, transportado em ombros por elementos da Real Irmandade de Nossa Senhora da Saúde e de S. Sebastião, seguiam o capelão reitor e o cabido da Sé e, abrindo a secção civil, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, acompanhado pelos vereadores Catarina Vaz Pinto, José Sá Fernandes, João Afonso e António Proa e pelos presidentes das Juntas de Freguesia de Arroios e Santa Maria Maior, respetivamente, Margarida Martins e Miguel Coelho. Na parte final do cortejo, a procissão foi integrada pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que também assistiu ao ofício religioso e cerimónia da benção, que decorreu no interior da ermida.

Integrada por centenas de fieis, a procissão foi também acompanhada por milhares de lisboetas e visitantes ao longo do seu percurso: Rua da Mouraria, Rua do Benformoso, Largo do Intendente, Rua dos Anjos, Avª. Almirante Reis, Rua da Palma, Rua D. Duarte, Praça da Figueira, Rua dos Condes de Monsanto, Poço do Borratem e Rua do Arco do Marquês de Alegrete, retornando então à Capela de Nossa Senhora da Saúde.

 

A procissão remonta a 1570, quando, em ação de graças por um surto de peste debelado, os artilheiros da guarnição da cidade organizaram um cortejo sob a égide de S. Sebastião e de Nossa Senhora da Saúde, com saída do Colégio dos Meninos Órfãos, na Mouraria, que acolhia a imagem de Nossa Senhora da Saúde. A partir de 1662, com a união das duas Irmandades (a de S. Sebastião e a de Nossa Senhora da Saúde), a procissão passou a sair da então Capela de S. Sebastião (na atual Praça de Martim Moniz), que passou a acolher também a imagem de Nossa senhora da Saúde, começando então a antiga ermida quinhentista a ser designada pelo nome dos dois oragos.

Tradicionalmente, o andor de S. Sebastião era levado aos ombros pelos artilheiros (devotos de S. Sebastião), passando depois também a levar o de Nossa Senhora da Saúde. Posteriormente, os diversos andores passaram a ser carregados por escoltas de diversas guarnições regimentais aquarteladas em Lisboa, incluindo as das forças de polícia municipais. Atualmente, os principais andores são os de Nossa Senhora da Saúde (levado pela Real Irmandade de Nossa Senhora da Saúde e S. Sebastião), de S. Sebastião e de Santa Bárbara (ambos carregados por elementos da arma de Artilharia, de quem são padroeiros), e de Santo António de Lisboa, cujo transporte está a cargo de um destacamento da Polícia Municipal. Uma imagem de S. Jorge, montada num cavalo do Regimento de Cavalaria da GNR abre o cortejo. Acompanhando os andores, seguem os representantes do da Câmara, o cabido da Sé, as irmandades e os destacamentos de várias forças militares que sempre se fizeram representar. Este ano, à semelhança do que vem acontecendo desde 1981 (a realização da procissão esteve interrompida entre 1910 e 1939 e entre 1974 e 1980), a procissão abriu com o destacamento a cavalo da Guarda Nacional Republicana escoltando a imagem de S. Jorge. 

 

Array
Mais notícias sobre:
Arroios, Município, Santa Maria Maior