Intervenção social

Projeto RADAR apresenta resultados e avança para a 2ª fase

19, Junho 2019
Câmara de Lisboa e Santa Casa da Misericórdia apresentam resultados de um projeto que surge para dar resposta às cerca de 30 mil pessoas, com mais de 65 anos, que vivem com dificuldades e isolamento.
  • Projeto RADAR apresenta resultados e avança para a 2ª fase
    Projeto RADAR apresenta resultados e avança para a 2ª fase

O presidente da autarquia, Fernando Medina e o provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Edmundo Martinho, estiveram presentes, nos Paços do Concelho, na apresentação dos resultados da fase-piloto do projeto RADAR - que abrangeu as freguesias de Areeiro, Olivais e Ajuda.

Os representantes das duas instituições bem como os presidentes das juntas de Alcântara, Arroios, Beato, Estrela, São Domingos de Benfica, Marvila, Alvalade, Parque das Nações, Santa Clara e São Vicente assinaram uma Carta de Compromisso para a sua segunda fase deste projeto, que irá para o terreno entre este mês e novembro.

Fernando Medina dirigiu um agradecimento muito especial à Santa Casa da Misericórdia e às juntas de freguesia envolvidas, pelo trabalho apresentado, referindo que “o que aqui assistimos é um trabalho único, que julgo que nunca foi feito. Trata-se de um recenseamento de cada caso, das pessoas, das suas situações, das suas carências, das suas necessidades, com um nível de precisão que nos vai permitir ter um extraordinário instrumento para agir”.

Este projeto integra um outro intitulado “Lisboa, cidade para todas as idades” e o autarca explicou ainda que “este trabalho é importantíssimo pois deste trabalho de recolha já começou a ser feito uma integração, mas dá-nos também um ponto de partida para uma segunda fase que é a fase do reforço da nossa capacidade de resposta nas várias áreas”.

Para Edmundo Martinho, depois deste projeto “conhecemos melhor as necessidades destas pessoas e não temos desculpas para falhar”. O provedor da Santa Casa salientou que “este é provavelmente o programa mais ambicioso e que pode ter um caráter mais transformador na qualidade de vida das pessoas mais velhas”.

No recenseamento realizado, foram detetadas situações de dificuldades económicas, de carências de cuidados de saúde e de higiene nas casas. Na análise do trabalho efetuado pelas equipas da Santa Casa mostrou que nas três freguesias do projeto-piloto vivem 2896 mulheres com mais de 65 anos sozinhas (64% do total de 4547 pessoas recenseadas). Quanto às idades, a grande maioria, 77%, tem entre 65 e 84 anos. O levantamento efetuado permitiu ainda aos serviços da Santa Casa perceberem que a grande maioria das pessoas com mais de 65 anos que encontraram tinham apoio social seja por parte de familiares ou vizinhos.

Esta iniciativa tem também um outro objetivo: criar uma rede de vigilância local, que podem ser vizinhos, comerciantes ou voluntários que no caso de notarem uma ausência prolongada tentam perceber se aconteceu alguma coisa à pessoa em questão.

Projeto RADAR

O projeto RADAR é uma vertente operacional do programa “Lisboa, Cidade de Todas as Idades”. O objetivo do RADAR é, tal como o nome indica, sinalizar a população com mais de 65 anos de idade, identificando e registando as suas necessidades para que, em estreita colaboração, melhor se possa responder aos desafios que se colocam a este grupo etário da população que cada vez ganha mais peso na cidade de Lisboa. O projeto espera sinalizar mais de 30 mil pessoas isoladas na cidade de Lisboa, até à sua conclusão.

O projeto RADAR funciona em rede com várias entidades: Câmara Municipal de Lisboa; Santa Casa da Misericórdia de Lisboa; Instituto da Segurança Social; Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo; Polícia de Segurança Pública; juntas de freguesia; Rede Social de Lisboa; assim como comunidade em geral (voluntários, vizinhos/as e comércio local).

Array
Mais notícias sobre:
Intervenção social