Intervenção social, Município

Refugiado hoje - cidadão amanhã?

19, Junho 2018
"Para nós, todas as pessoas que se sentem parte da cidade são cidadãos e cidadãs", afirmam os presidentes de vários municípios que integram Rede de Cidades Interculturais, incluindo Fernando Medina, numa declaração que assinala o Dia Muncial da Pessoa Refugiada, 20 de junho.

Na data em que se assinala o Dia Mundial da Pessoa Refugiada, 20 de junho, a Câmara Municipal de Lisboa junta-se a vários municípios que integram a Rede de Cidades Interculturais numa declaração que afirma os "valores da igualdade, dos direitos humanos e da democracia", preconiza "políticas de inclusão a sério" e reclama que as cidades sejam mais ouvidas.  

"Há uma voz que raramente é ouvida no debate político profundamente divisivo sobre as pessoas refugiadas - a voz das cidades. Ouvir as cidades pode não só tornar o debate mais construtivo, mas também ajudar a moldar políticas que conciliem a coesão social e a solidariedade.

A maioria das pessoas que requerem asilo e refúgio vive nas nossas cidades: nos bairros, parques, empresas, hospitais e escolas. Não são uma questão política abstrata - são seres humanos com necessidades, responsabilidades e aspirações.

Quem lidera os municípios preocupa-se com quem ali vive, com o bem-estar de quem acaba de chegar e com a prosperidade e qualidade de vida de toda a comunidade. Portanto, é imperativo que encontremos forma de as garantir. Não podemos dar-nos ao luxo de perder tempo em lutas políticas de curto-termo, negligenciando a perspetiva a longo termo.

Urge pavimentar o caminho para que as pessoas refugiadas de hoje se tornem cidadãos e cidadãs de amanhã.

Se não puderem trabalhar, estudar, criar empresas e até mesmo voluntariar-se devido a obstáculos legais ou administrativos, ou porque não têm oportunidades acessíveis para aprender a nossa língua, teremos que encontrar novas formas de evitar continuar a desperdiçar talentos e vidas. Podemos atingir este objetivo, se convencermos as restantes cidadãs e cidadãos de que os migrantes são uma oportunidade de construir cidades mais inclusivas, abertas, criativas e dinâmicas, beneficiando todos e todas.

Nós clamamos por uma visão política nas nossas sociedades que leve a inclusão a sério, já que as nossas atitudes de acolhimento são determinantes para que a migração dê frutos positivos para a sociedade.

A inclusão, para ser bem-sucedida, só pode funcionar se houver respeito mútuo e uma identidade comunitária plural e compartilhada. Só podemos ajudar as pessoas recém-chegadas a abraçar os valores da igualdade, dos direitos humanos e da democracia, que são os pilares das nossas sociedades, se conseguirmos demonstrar que vivemos por esses valores. Precisamos de dar o exemplo, construindo democracias implacavelmente abertas, justas e inclusivas.

Para cumprir a nossa missão, trabalhamos em conjunto com outras cidades em redes como a rede de cidades interculturais apoiada pelo Conselho da Europa. Desenhamos juntos abordagens inovadoras para tornar as escolas, os bairros e as instituições comunitárias mais diversas, prevenir a discriminação, lutar contra o extremismo e o ódio violentos e fomentar a confiança através da interação entre todos os membros da comunidade. Encetamos esforços de forma a criar condições para que todos e todas tenham voz nos assuntos locais e realizem as suas asirações em torno de uma visão comum, sejam eles oficialmente reconhecidos como cidadãos ou não.

Para nós, todas as pessoas que se sentem parte da cidade são cidadãos e cidadãs.

A experiência e o conhecimento que as cidades têm em relação ao que funciona para a inclusão podem ajudar a tornar as políticas nacionais mais eficazes. É hora de ouvir a voz das cidades." 

Assinada pelos seguintes presidentes dos municípios da Rede Cidades Interculturais

Antonio DECARO, Presidente da Câmara Municipal de Bari (Itália)

Erlend HORN, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Bergen (Noruega)

Juan María ABURTO, Presidente da Câmara Municipal de Bilbao (Espanha)

Ricardo RIO, Presidente da Câmara Municipal de Braga (Portugal)

Ana Belén CASTEJON HERNANDEZ, Presidente da Câmara Municipal de Cartagena (Espanha)

Amparo MARCO GUAL, Presidente da Câmara Municipal de Castelló (Espanha)

Florian JANIK, Presidente da Câmara Municipal de Erlangen (Alemanha)

Elisabeth PREUß, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Erlangen (Alemanha)

Susanne LENDER-CASSENS, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Erlangen (Alemanha)

Francisco Javier AYALA ORTEGA, Presidente da Câmara Municipal de Fuenlabrada (Espanha)

Imanol LANDA JAUREGI, Presidente da Câmara Municipal de Getxo (Espanha)

Yasutomo SUZUKI, Presidente da Câmara Municipal de Hamamatsu (Japão)

Harald FURRE, Presidente da Câmara Municipal de Kristiansand (Noruega)

Damien EGAN, Presidente do Distrito de Lewisham (Reino Unido)

Nicos NICOLAIDES, Presidente da Câmara Municipal de Limassol (Chipre)

Fernando MEDINA, Presidente da Câmara Municipal de Lisboa (Portugal)

Bernardino SOARES, Presidente da Câmara Municipal de Loures (Portugal)

Hryhoriy PUSTOVIT, Presidente interino da Câmara Municipal de Lutsk (Ucrânia)

Bob TURNER, Presidente da Câmara Municipal de Melton (Austrália)

Cecilia Soto, Deputada Federal da Assembleia da Cidade do México, 63ª Legislatura do Congresso Federal Mexicano (México)

Isaltino MORAIS, Presidente da Câmara Municipal de Oeiras (Portugal)

Anatoliy VERSHINA, Presidente da Câmara Municipal de Pavlograd (Ucrânia)

Luca VECCHI, Presidente da Câmara Municipal de Reggio Emilia (Itália)

Ardell Fr. BREDE, Presidente da Câmara Municipal de Rochester, Minnesota (EUA)

Jordi VIÑAS, Presidente da Câmara Municipal de Salt (Espanha)

Eneko GOIA, Presidente da Câmara Municipal de San Sebastian/Donostia (Espanha)

Emídio de SOUSA, Presidente da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira (Portugal)

Maurizio MANGIALARDI, Presidente da Câmara Municipal de Senigallia (Itália)

Roland RIES, Presidente da Câmara Municipal de Strasbourg (França)

Carlos Enrique ALONSO RODRIGUEZ, Presidente do Cabildo de Tenerife (Espanha)

Chiara APPENDINO, Presidente da Câmara Municipal de Torino (Itália)

Sergiy MORGUNOV, Presidente da Câmara Municipal de Vynnytsia (Ucrânia)

Pedro SANTISTEVE ROCHE, Presidente da Câmara Municipal de Zaragoza (Espanha)

 

 

Mais notícias sobre:
Intervenção social, Município