Segunda Semana do Empreendedorismo de Lisboa

Maio 06, 2013
  • Semana do Empreendedorismo
    Semana do Empreendedorismo
Array

A cidade de Lisboa tem mais um polo de empreendedorismo. António Costa, a convite da Beta-i, inaugurou dia 9 de maio, na antiga sede dos CTT do Cais do Sodré, mais um espaço de inovação focado em startups tecnológicas e criativas.

A inauguração do espaço, que promete "servir de cais de embarque para 120 novas empresas", contou também com a presença de Graça Fonseca, vereadora da Economia e Inovação, a quem Pedro Rocha Vieira, presidente da Beta-i, agradeceu pela "nova dinâmica que imprimiu à cidade de Lisboa".

Apesar de não haver "lugar marcado para empreender", como disse Nuno Fernandes Thomaz da CGD, que apoiou este projeto de aceleração de empresas, "Lisboa tem tudo para ser a melhor cidade do mundo para os empreendedores", considerou ainda, depois de ser conhecida a classificação da revista norte-americana Entrepreneur, que atribuiu a Lisboa o 5º lugar neste ranking.

António Costa, empenhado em contrariar a tendência das últimas décadas, em que Lisboa "perdeu 400 mil habitantes, milhares de empresas e postos de trabalho", manifestou o compromisso de revitalizar o centro histórico da cidade.

"A baixa tem que ser atrativa para as novas empresas", lembrou o autarca, recordando os números do censos 2011 que mostram a "tendência de rejuvenescimento da população nesta zona", uma tendência que a autarquia tem acompanhado através do apoio concedido, nomeadamente na cedência de espaços e edifícios.

"Não compete à Câmara empreender mas sim criar condições", terminou o autarca, reconhecendo a importância da "recuperação deste edifício, após a saída dos CTT, evitando a sua degradação".

Semana do Empreendedorismo - 5 dias / 25 iniciativas

A Câmara de Lisboa deu início, no dia 6 de maio, à segunda Semana do Empreendedorismo da cidade, uma iniciativa que decorre até 10 de maio e engloba 25 iniciativas, organizadas com vista a criar um ambiente propício ao surgimento de novas empresas. Uma ambiciosa estratégia para transformar Lisboa numa verdadeira Start Up City.

Manifesto do Empreendedorismo

No primeiro dia realizou-se no Torreão Poente da Praça do Comércio, uma conferência com empreendedores, pessoas interessadas em lançar os seus projetos e com vários parceiros institucionais envolvidos na rede, com o objetivo de elaborar em conjunto "o manifesto de empreendedorismo", um documento constituído por “10 mandamentos” ou orientações de boas práticas do que é importante fazer no plano local e nacional para promover e apoiar quem é empreendedor e quer lançar um negócio.

No final da tarde, após a apresentação do "manifesto de empreendedorismo“, a vereadora do pelouro da Inovação, Graça Fonseca, encerrou os trabalhos do dia, defendendo que é preciso encontrar a melhor forma de divulgar eficazmente os projetos relacionados com o empreendedorismo e sublinhando o papel fundamental das parcerias para o seu sucesso em Lisboa. A autarca referiu ainda a importância de promover o emprego, no âmbito destes projetos, o que poderá ser feito, por exemplo, através do Instituto do Emprego e Formação Profissional. “A câmara tem o papel de federar vontades e promover quem tem boas ideias para a cidade”, concluiu a vereadora.

Sensibilizar os mais jovens

O dia 7, terça feira, foi dedicado aos mais pequenos. Duas turmas do ensino básico da Escola Moinhos do Restelo deslocaram-se à Escola Paula Vicente onde tomaram conhecimento com um processo de tomada de decisão, passo a passo, escolhendo o destino a dar a uma loja vazia. Depois de se organizarem em grupos, cada um defendeu uma ideia que foi colocada a votos, ajudando-os a compreender como são tomadas as decisões em grupo.

Durante a manhã, a vereadora Graça Fonseca e o vereador da Educação, Manuel Brito, assistiram a algumas atividades de jogos de Legos, com crianças das escolas básicas Alto da Faia e Adriano Correia de Oliveira, no Pavilhão do Conhecimento – Ciência Viva. Os autarcas visitaram o pavilhão, acompanhados por Carlos Catalão, representante do espaço e aproveitaram para conhecer melhor todas as atividades que o projeto Ciência Viva oferece aos mais jovens.  Depois da visita, o Quarteto de Eufónios da Escola Profissional Metropolitana, deu um pequeno concerto para as crianças e para todos os presentes.

Jovens Empreendedores do Setor do Comércio

No terceiro dia da iniciativa, a União de Associações do Comércio e Serviços acolheu alunos da Escola de Comércio de Lisboa, que apresentaram os seus projetos escolares, em áreas de negócio inovadoras, fundamentais para "revitalizar a atividade do comércio tradicional na cidade", como salientou Graça Fonseca.

Paralelamente foi apresentada a nova Academia de Comércio de Lisboa, uma iniciativa de dois jovens empreendedores, que pretende apoiar a capacitação dos empresários do setor, um contributo para a reabilitação urbana das zonas comerciais da cidade.

A melhor marca de 2012 para a revista Time Out, a "Nata Lisboa", transmitiu aos futuros empresários a importância da aposta na comunicação. Numa altura em que "a marca Portugal não é tão vendável", como salientou o criador do conceito, a aposta passou pela divulgação de um produto de Lisboa, respeitando a sua origem e a sua qualidade, relativamente a um produto que é "apreciado em todo o mundo".

A vereadora aproveitou ainda para desafiar estes jovens a estarem atentos à abertura da Fab Lab no Mercado do Forno de Tijolo, que considerou ser mais uma importante ferramenta na área da inovação, que conta com a parceria da CML,  Iberomoldes, CENTIMFE, AIP-CCI e a Corticeira Amorim.

Imaginar, desenhar e construir

Não podia terminar de melhor forma a semana do empreendedorismo. Com a participação da vereadora Graça Fonseca e de Paulo de Carvalho, Diretor Municipal de Economia e Inovação da autarquia, ao final da tarde de sexta feira realizou-se no Dialogue Café da Fundação Calouste Gulbenkian uma videoconferência com representantes da FabLab de Amsterdão.

Uma FabLab, ou “Fabrication Laboratory”, é uma oficina de fabricação aberta à comunidade e totalmente equipada com ferramentas industriais de prototipagem rápida como fresadoras de pequeno e grande porte, máquinas de corte a laser ou vinil, uma bancada de eletrónica, computadores e respetivas ferramentas de programação informática suportadas por software open source e por freeware CAD e CAM.

Aqui qualquer um pode transformar as suas ideias em realidade, concebendo o projeto no computador e materializando-o com o auxílio das máquinas. A rede e a partilha entre as FabLab já espalhadas em diversas cidades do mundo são fundamentais, pelo que a troca de experiência será também muito útil para o projeto que a Câmara Municipal de Lisboa tem, em parceria com outras entidades, de instalar uma FabLab no Mercado do Forno do Tijolo, já noticiado nesta página.

No encontro, em que os responsáveis de Amsterdão possibilitaram uma «visita guiada» pela fábrica, foram apresentados exemplos de diversos produtos concebidos e fabricados naquela FabLab, com destaque para o projeto de construção de uma prótese dos membros inferiores a partir de fibra de ananás e de madeira, a aplicar na Indonésia e com um custo de apenas 50 dólares, cerca de 38 euros.

Programa

 

 



Últimas notícias

Out 22, 2014

Dia das Nações Unidas em Lisboa

Comemora-se em 24 de outubro o Dia das Nações Unidas, data que assinala a entrada em vigor da Carta... saber mais...

Out 21, 2014

Conversas Maresias, 24 outubro

Debater as metamorfoses arquitetónicas e urbanísticas da frente ribeirinha de Lisboa é o objetivo... saber mais...