Ambiente

Trilhos de Monsanto melhoram a mobilidade suave dos utentes

08, Janeiro 2018

Com base numa proposta vencedora do Orçamento Participativo de 2014 a Câmara Municipal de Lisboa deu início a uma intervenção global da melhoria da mobilidade suave no Parque de Monsanto.

Esta intervenção foi além daquilo que constava da proposta inicial, uma vez que, para além da mobilidade suave nos trilhos, contemplou a execução de medidas de acalmia do tráfego no Parque Florestal de Monsanto e a resolução dos pontos de conflito entre as diferentes mobilidades.

A melhoria dos pavimentos dos trilhos tem consistido na recarga de uma caixa de brita permeável, confinada com um lancil de madeira, para evitar a mistura de materiais e, assim, possibilitar a circulação a enxuto, de rigidez adequada à marcha ou à corrida, e impedir que os utentes vão criando novos caminhos, aleatoriamente pela mata. Nos locais onde estes trilhos confinam com situações de risco, (por exemplo a circulação automóvel) são implantadas guardas de madeira com o objetivo de proporcionar maior segurança aos utentes. A brita, inicialmente de cor branca (como o calcário do Parque) irá sendo oxidada e, em breve, deixará de ter impacto visual contrastante com o resto do terreno. O leito anteriormente mais largo de alguns dos trilhos irá sendo, naturalmente, recoberto pela vegetação herbácea, renaturalizando os espaços, mas sem ocupação lenhosa, constituindo-se como aceiros (para evitar a propagação dos incêndios florestais) e para que, em caso de emergência, por aí possam circular viaturas de socorro. Os antigos trilhos, não enquadrados nesta perspetiva, serão progressivamente naturalizados, evitando assim a proliferação de trilhos que de uma forma informal têm surgido no Parque.

A acalmia do tráfego automóvel passará pelo redesenho de alguns nós viários e pela colocação de dispositivos limitadores da circulação de viaturas no Parque a velocidades superiores ao legalmente estabelecido para as localidades (50km/h).

Nos pontos de conflito entre as diferentes mobilidades serão instaladas passadeiras para peões e barreiras nos trilhos para diminuir a velocidade de corredores no acesso aos atravessamentos de vias automóveis, estando, também, prevista a construção de um pequeno viaduto num ponto singular de um dos trilhos para um atravessamento seguro de quem usa a mobilidade suave.

Finalmente, estão a ser editados materiais de divulgação, em suporte físico e digital, apoiados em sinalética adequada aos trilhos, para uma informação mais completa aos utentes.

O Parque Florestal de Monsanto vai, deste modo, receber ainda melhor todos os que o utilizam corretamente.

Mais notícias sobre:
Ambiente