Cultura e Lazer, Município

"Turbulências" traz obras inéditas a Lisboa

06, Setembro 2017
Inserida na programação do evento Lisboa Capital Ibero-americana de Cultura 2017 - Passado e Presente, é inaugurada na próxima 6ª feira, dia 8 de setembro na Galeria Torreão Nascente da Cordoaria Nacional a Exposição "Turbulências."Um momento marcante para a vida cidade" diz o Vereador das Relações Internacionais da Câmara Municipal de Lisboa, a poucos dias antes da abertura de portas daquela que é considerada como uma das mais importantes coleções de arte contemporânea da Europa.
  • "Turbulências" traz obras inéditas a Lisboa
    "Turbulências" traz obras inéditas a Lisboa

Em exibição vão estar cerca de 40 obras inéditas de 18 artistas da Coleção “la Caixa” de Arte Contemporânea que pretendem "despertar consciências tendo como temas centrais as realidades e contradições sociais, como os refugiados, as ditaduras ou o racismo.

Numa visita guiada aos jornalistas, Carlos Manuel Castro realçou a importância para Lisboa em receber esta exposição porque   “é preciso combater os muros e valorizar as diferenças e é isso que queremos para o futuro da cidade”.

Para António Pinto Ribeiro, comissário da Capital Ibero-americana da Cultura, os problemas focados pelos artistas nesta exposição, "embora contenham os problemas sociais e políticos específicos da América Latina, na sua essência também afetam outros continentes, como a Europa e a Ásia".


Turbulências

Criada especificamente para o evento, em Lisboa, como avançou a Elisa Durán, diretora-geral adjunta da Fundação La Caixa, a exposição reúne um número considerável de obras de artistas latino-americanos e é já considerada pela organização como como um dos “grandes momentos da temporada 2017/18 da Lisboa Capital Iberao

A exposição, com curadoria de Nimfa Bisbe, Diretora da Coleção “la Caixa” de Arte Contemporânea, reúne uma seleção de obras no âmbito do quadro conceptual do programa Lisboa Capital Ibero-Americana de Cultura 2017, e destaca a diversidade de abordagens, estratégias e relatos da criação contemporânea, tendo como pano de fundo a narrativa de crítica social que a Coleção “la Caixa” tem vindo a criar. Através da fotografia, escultura, instalação e pintura, artistas de diferentes registos dão voz a uma exposição que, não só, mostra uma pluralidade de critérios artísticos como também perscruta novos olhares sobre o mundo em que vivemos e propõe auscultar as sociedades contemporâneas, criando pontes de leitura. 

Na mostra destacam-se obras em fotografia, vídeo, escultura, pintura e instalação, dando a conhecer as realidades de países como a Argentina, Brasil, Cuba, México, Espanha, ou Venezuela.

 Aos artistas latino-americanos juntam-se outros de realidades geopolíticas diferentes, mas nem por isso menos controversas, expostas a conflitos sociais, “lugares onde o capitalismo global intensificou as desigualdades sociais e os movimentos de violência, xenofobia e racismo se agravaram.” 

O título "Turbulências" é retirado da obra com o mesmo nome criada em 1998 pela artista iraniana Shirin Neshat,  e que pretende evocar a inquietação necessária para nos fazer observar as contradições de uma sociedade contemporânea que exige olhares diversificados. 

A exposição "Turbulências" pode ser visitada na Cordoaria Nacional até 03 de dezembro de 2017, de terça a domingo das 10 às 13 horas e das 14h00 às 18h00.

Mais notícias sobre:
Cultura e Lazer, Município