Municipio, Urbanismo

Um passo importante na requalificação da frente ribeirinha

08, Dezembro 2015
Com o início das obras de requalificação do Campo das Cebolas, Cais do Sodré e Corpo Santo, avança significativamente o processo de revitalização da frente ribeirinha de Lisboa. A cidade está cada vez mais próxima do rio e Fernando Medina afirmou numa visita às obras que são projetos ambiciosos para a melhoria da qualidade de vida em Lisboa.
  • Apresentação das obras de requalificação do Campo das Cebolas, Corpo Santo e Cais do Sodré
    Apresentação das obras de requalificação do Campo das Cebolas, Corpo Santo e Cais do Sodré

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, visitou esta manhã, 8 de dezembro, as obras de requalificação do Campo das Cebolas, Corpo Santo e Cais do Sodré e mostrou-se animado por mais este passo importante na estratégia municipal de revitalização da frente ribeirinha de Lisboa.

Duas empreitadas de vulto que criam melhores condições de fruição do espaço público para os lisboetas e todos quantos visitam a capital. A apresentação foi efetuada num momento em que já se iniciaram as obras, em simultâneo, e permitirão "devolver mais espaço às pessoas para que todos possam usufruir da cidade e da sua frente ribeirinha", afirmou o edil. 

São projetos "da maior importância" que prosseguem o que já foi concretizado "com grande êxito" na Praça do Comércio e na Ribeira das Naus, frisa. 

Acompanhado dos arquitetos responsáveis pelo projeto, Bruno Soares (Cais do Sodré / Corpo Santo) e Carrilho da Graça (Campo das Cebolas), o edil fez com muitos jornalistas presentes um percurso pedonal pelos locais onde decorrem ou irão decorrer os trabalhos. 

 

Mais Lisboa para as pessoas

As duas obras já arrancaram e prevêem uma requalificação profunda do espaço público, melhoria do sistema de transportes públicos, reordenamento do trânsito e do estacionamento, melhoria dos acessos pedonais, mais espaços verdes e melhor mobilidade. "Lisboa ficará em poucos anos com uma frente ribeirinha totalmente renovada na sua zona central", salienta o presidente da Câmara de Lisboa. 

No Cais do Sodré/Corpo Santo os passeios ficam mais largos, confortáveis e seguros, o interface de transportes públicos mais funcional e é criado um corredor para bicicletas. Devolve-se assim "mais espaço à cidade", enfatiza Fernando Medina, que lembra tratar-se de uma intervenção "numa zona particularmente difícil", pois trata-se de um importante interface de transportes da cidade. 

A circulação viária é reordenada, são criados novos espaços verdes e zonas de lazer. As obras deverão estar concluídas em janeiro de 2017. O presidente salienta ainda que a intervenção permite a "recuperação de um sonho dos lisboetas", pois serão criadas as infraestruturas necessárias para que a famosa carreira do elétrico n.º 24 possa voltar a circular entre o Cais do Sodré e Campolide, "dentro de alguns anos". 

Já no Campo das Cebolas a obra prevê a criação de uma praça voltada para a cidade, recolhida sob árvores que se estenderão por um grande passeio arborizado a ligar Santa Apolónia e o Terreiro do Paço, com equipamentos para crianças e mais espaço para esplanadas. "Um projeto de excelência", diz Medina, que permite a recuperação da centralidade desta praça.  

A Casa dos Bicos é também valorizada, a pensar na memória de José Saramago que terá o seu memorial valorizado, bem como a entrada para a fundação. Esta obra, cuja conclusão está prevista para meados de 2017, tem ainda incluída a construção de um parque de estacionamento com 206 lugares. 

 

Array
Mais notícias sobre:
Municipio, Urbanismo