Educação, Intervenção social

Vamos falar sobre os Direitos da Criança

31, Janeiro 2019
Congresso Escolar “Os Direitos da Criança” reúne em Lisboa cerca de 300 crianças de escolas da cidade. Este ano, assinala-se o 30º aniversário da Convenção sobre os Direitos da Criança.
  • VI Congresso Escolar “Os Direitos da Criança” em Lisboa
    VI Congresso Escolar “Os Direitos da Criança” em Lisboa
  • VI Congresso Escolar “Os Direitos da Criança” em Lisboa
    VI Congresso Escolar “Os Direitos da Criança” em Lisboa
  • VI Congresso Escolar “Os Direitos da Criança” em Lisboa
    VI Congresso Escolar “Os Direitos da Criança” em Lisboa
  • VI Congresso Escolar “Os Direitos da Criança” em Lisboa
    VI Congresso Escolar “Os Direitos da Criança” em Lisboa
  • VI Congresso Escolar “Os Direitos da Criança” em Lisboa
    VI Congresso Escolar “Os Direitos da Criança” em Lisboa

Realizou-se no dia 29 de janeiro, o VI Congresso Escolar “Os Direitos da Criança”. A iniciativa teve lugar no Grande Auditório do ISCTE-IUL e contou com a participação de cerca de 300 alunos da escola básica Mestre Arnaldo Louro de Almeida e do jardim de infância Mestre Querubim Lapa.

Desde o jardim de infância até ao 4º ano, todas as turmas da escola participaram e deram cor ao palco através do seu contributo na interpretação sobre o direito a brincar, à saúde, a uma família, à educação, entre outros.

Através de danças, teatro e canções, as crianças foram passando a mensagem que a infância é um tempo em que se constrói a felicidade e todos têm direito a ter um nome, uma nacionalidade, uma família, segurança, proteção contra a violência, liberdade de expressão e à paz.

Convenção sobre os Direitos da Criança

Em 20 de novembro de 1989, as Nações Unidas adotaram, por unanimidade, a Convenção sobre os Direitos da Criança (CDC). O documento enuncia um amplo conjunto de direitos fundamentais: os direitos civis e políticos, e também os direitos económicos, sociais e culturais de todas as crianças, bem como as respetivas disposições para que sejam aplicados.

Desde então, crianças e adolescentes passaram a ser tidos como pessoas de direitos. A CDC é o tratado de direitos humanos internacionais mais amplamente ratificado.

 

  

Mais notícias sobre:
Educação, Intervenção social