Cultura e Lazer, Educação

VII Encontro da Rede de Bibliotecas Escolares de Lisboa

18, Março 2019
Decorreu, no dia 18 de março, na Biblioteca Municipal de Marvila o VII Encontro de Bibliotecas Escolares, que contou com presença com perto de uma centena de professores bibliotecários de escolas de Lisboa e de vários pontos do país, uma iniciativa da Câmara Municipal de Lisboa que se realiza anualmente onde se debate o papel do livro, da literacia, da leitura e do acesso ao conhecimento feito através das bibliotecas escolares e que, em Lisboa, conta também com o envolvimento da rede municipal de bibliotecas. O encontro deste ano, com o tema “Bibliotecas Escolares de Todos e para Todos”, centrou-se na temática da inclusão.
  • Encontro da Rede de Bibliotecas Escolares de Lisboa
    Encontro da Rede de Bibliotecas Escolares de Lisboa
  • Encontro da Rede de Bibliotecas Escolares de LisboaEncontro da Rede de Bibliotecas Escolares de LisboaEncontro da Rede de Bibliotecas Escolares de LisboaEncontro da Rede de Bibliotecas Escolares de LisboaEncontro da Rede de Bibliotecas Escolares de LisboaEncontro da Rede de Bibliotecas Escolares de LisboaEncontro da Rede de Bibliotecas Escolares de LisboaEncontro da Rede de Bibliotecas Escolares de LisboaEncontro da Rede de Bibliotecas Escolares de Lisboa
    Encontro da Rede de Bibliotecas Escolares de LisboaEncontro da Rede de Bibliotecas Escolares de LisboaEncontro da Rede de Bibliotecas Escolares de LisboaEncontro da Rede de Bibliotecas Escolares de LisboaEncontro da Rede de Bibliotecas Escolares de LisboaEncontro da Rede de Bibliotecas Escolares de LisboaEncontro da Rede de Bibliotecas Escolares de LisboaEncontro da Rede de Bibliotecas Escolares de LisboaEncontro da Rede de Bibliotecas Escolares de Lisboa

O encontro abriu com palavras de acolhimento por parte do diretor municipal de Educação, Paulo Agostinho, que agradeceu a presença de todos desejando um bom dia de trabalhos a todos os participantes. 

Em representação da coordenadora nacional da Rede de Bibliotecas Escolares, Liliana Silva abriu os discursos de abertura relembrando o papel das bibliotecas escolares na promoção da inclusão salientando que “o direito à inclusão é onde se fundam todos os outros direitos de cidadania” e, por isso mesmo, as bibliotecas escolares têm vindo a tornar-se espaços de excelência para o desenvolvimento de práticas inclusivas. 

Francisco Neves, Delegado Regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo, felicitou a CML pela realização deste evento, colocando a tónica na profissionalização e formação dos professores bibliotecários como carreira especializada com uma vertente específica para a promoção da inclusão. 

Já a vereadora da cultura, Catarina Vaz Pinto, recordou o significado deste encontro se realizar na biblioteca de Marvila, equipamento chave na política e na intervenção da rede de bibliotecas da CML, lembrando várias atividades onde este equipamento desenvolve junto da comunidade, servindo de plataforma para o encontro de gerações, no trabalho junto das escolas do bairro, nos diversos apoios às necessidades da população, a sua implementação no território, sendo esta também uma forma de promover a inclusão, ao mesmo tempo que se estimula para a leitura e se desperta para a cultura. Neste âmbito a vereadora da cultura referiu ainda projetos voltados para a inclusão na saúde mental e dirigidos à comunidade LGBTI. “As bibliotecas são locais que se querem mais pertos de todos e que apontam para uma cidade com maior capacitação, cidadania, com mais coesão e mais inclusão”, terminou. 

Manuel Grilo, vereador com o pelouro da educação encerrou a primeira ronda de intervenções referindo a importância das bibliotecas escolares na promoção da literacia e do conhecimento em diversos níveis destacando que a câmara de Lisboa tem desenvolvido diversos projetos, como o programa "Letras, Cores e Saberes", que acompanham os diversos atores escolares na promoção de políticas para a educação de maior proximidade de esforço conjunto e de promoção do pensamento crítico e da cidadania. “A Câmara tem sido parceira de primeira linha, trabalhando com as escolas e desenvolvendo projetos que visam o envolvimento de todos, na criação de bibliotecas e escolas para todos”, referiu. Manuel Grilo terminou agradecendo a participação dos participantes e das equipas que organizaram e promoveram este encontro, mais uma vez, bem sucedido. 

Seguiu-se a primeira intervenção da jornada de trabalhos, com a conferência do professor catedrático, David Rodrigues, membro do Conselho Nacional de Educação e presidente da associação Pró-Inclusão que numa intervenção muito clara e pertinente discutiu o conceito de inclusão no que respeita aos seus diferentes significados e à sua aplicabilidade nas escolas. 

Ao longo do dia decorreram vários workshops e houve oportunidade de partilhar experiências e de ficar a conhecer modelos inclusivos de olhar para as bibliotecas escolares. 

Veja aqui todo o programa.  

Mais notícias sobre:
Cultura e Lazer, Educação