Intervenção social, Visitar

Visita ao Centro Ismaili de Lisboa

09, Fevereiro 2019
Na Semana Mundial da Harmonia Inter-Religiosa 2019, fomos conhecer o Centro Ismaili de Lisboa.
  • O Centro Ismaili de Lisboa
    O Centro Ismaili de Lisboa
  • O Centro Ismaili de Lisboa
    O Centro Ismaili de Lisboa
  • O Centro Ismaili de Lisboa
    O Centro Ismaili de Lisboa
  • O Centro Ismaili de Lisboa
    O Centro Ismaili de Lisboa
  • v
    v
  • O Centro Ismaili de Lisboa
    O Centro Ismaili de Lisboa
  • O Centro Ismaili de Lisboa
    O Centro Ismaili de Lisboa

Paredes meias com vias rápidas e arranha céus, existe um oásis desconhecido para muitos lisboetas.

O Centro Ismaili em Lisboa foi inaugurado a 11 de julho de 1998, pelo então Presidente da República, Jorge Sampaio, e pelo príncipe Aga Khan, 49º imam da comunidade muçulmana ismaili, e está, desde então, de portas abertas a todos os visitantes.

Hoje, fomos conhecer o espaço, numa visita organizada a espaços religiosos de diferentes confissões, no âmbito do Plano Municipal para a Integração de Migrantes em Lisboa 2018-2020, e a propósito da Semana Mundial da Harmonia Inter-Religiosa 2019.

“Não é tanto aquilo que partilhamos mas o que as pessoas nos trazem” começa por nos dizer Sara Sadrudin, coordenadora das visitas guiadas, no grande  átrio revestido a lioz e iluminado de luz natural onde são recebidos todos os visitantes.

Durante cerca de 90 minutos, Sara e Karim Paulo, guiam um grupo de cerca de 30 pessoas pelas diversos áreas do Centro, a casa da comunidade de muçulmanos shia imami Ismaili, como se de uma verdadeira “caça ao tesouro” se tratasse.

O conjunto arquitetónico ocupa uma área de 18.000 m2. Desses, cerca de 12.000 são constituídos por jardins, com mais de 100 espécies diferentes, e por pátios. Os azulejos, produzidos manualmente pela fábrica portuguesa viúva Lamego, são marca incontornável do espaço.

Um dos pontos altos é a visita à sala de orações, um espaço de cerca 800 m2 onde homens e mulheres rezam em conjunto.

“São mais as coisas que nos unem que as que nos separam”, explica Karim referindo a história das religiões e os traços comuns entre elas que marcam este edifício.

O Centro Ismaili de Lisboa, assim como outros espalhados pelo mundo, tem como objetivo não só acolher as práticas religiosas da comunidade muçulmana ismaili, mas também servir como uma ponte entre culturas e religiões.

A comunidade conta atualmente com 15 milhões de pessoas, em 250 países. Em Portugal são cerca de 3 mil fiéis.

O Centro Ismaili de Lisboa está aberto todo o ano, mediante marcação. Saiba como o fazer aqui.

Mais notícias sobre:
Intervenção social, Visitar