Investir, Município

Volkswagem abre centro de software em Lisboa

06, Novembro 2018
O grupo alemão pretende contratar 300 especialistas em tecnologias de informação. Fernando Medina aplaude e considera que o investimento permite à cidade “promover a inovação, a criatividade e, simultaneamente, empregar pessoas altamente qualificadas."

A capital portuguesa foi cidade escolhida pelo Grupo Volkswagem para a criação do seu primeiro Centro de Desenvolvimento de Software fora da Alemanha, que fica instalado na zona do Rato. Na abertura, que contou com o Presidente da República, Fernando Medina saudou a criação do novo centro e valorizou a importância dada a jovens talentos no funcionamento daquele espaço.

Para o presidente da Câmara de Lisboa, o novo centro permite à cidade "promover a inovação, a criatividade e, simultaneamente, empregar pessoas altamente qualificadas." Um projeto que, salientou, "mostra que a Web Summit vale a pena". De resto também Marcelo Rebelo de Sousa também se referiu à cimeira tecnológica que por estes dias e pela terceira vez coloca os olhos do mundo em Lisboa, para lembrar que quando a decisão foi tomada ainda se desconhecia que iria permanecer por mais dez anos na cidade.  

Medina e Marcelo salientam a amizade entre Lisboa, Portugal e o grupo Volkswagen. "Vocês são alguns dos melhores", afirmou o Presidente da República, que sublinha as mudanças em Portugal e a capacidade do país em construir pontes. "Vocês entenderam isso", disse.

Recrutamento em Portugal

Atualmente trabalham no centro 25 técnicos mas o objetivo é empregar cerca de três centenas, que a Volkswagen assume querer contratar preferencialmente em Portugal. Especialistas na área das Tecnologias da Informação para o desenvolvimento de software destinado sobretudo aos ecossistemas digitais e processos corporativos internos do grupo, dos quais 100 deverão trabalhar em serviços baseados na nuvem (cloud), especificamente para o sector dos veículos comerciais para a MAN Truck & Bus. 

O grupo já conta com dois centros semelhantes na Alemanha e justifica a escolha de Lisboa com o facto de a Área Metropolitana contar, em matéria de tecnologias de Informação, “com uma administração com afinidades por matérias digitais, uma rede estreitamente vinculada de strat-ups e empresas tecnológicas e um ambiente académico de elevado desempenho com diplomados altamente qualificados.”

Entre outras individualidades e representantes do grupo, participaram ainda o vice-presidente da autarquia e responsável pelo pelouro da Economia e Inovação, Duarte Cordeiro, o vereador da Mobilidade, Miguel Gaspar, e o ministro da Economia, Siza Vieira. 

Mais notícias sobre:
Investir, Município