Faculdade de Belas-Artes é importante para o centro histórico da cidade

25, Outubro 2019
Renovação do Largo das Belas-Artes, um projeto vencedor do Orçamento Participativo, reforça a importância daquela instituição em Lisboa.
  • Comemoração do Dia das Belas-Artes na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa
    Comemoração do Dia das Belas-Artes na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa

Assinalou-se hoje em Lisboa o Dia das Belas-Artes na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa – uma das mais antigas instituições de ensino da cidade – e que vai ver renovado em breve o largo fronteiro ao seu edifício-sede, no âmbito de um projeto vencedor do Orçamento Participativo (OP).

O vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa (CML), João Paulo Saraiva, que esteve presente na iniciativa, lembrou precisamente o processo participativo que antecedeu a eleição do projeto. “Foi um processo desenvolvido com um verdadeiro espírito participativo dentro da faculdade e que depois continuou no âmbito mais largo da cidade que, através da votação,  acabou por considerá-lo digno de ser um dos vencedores”.

Para João Paulo Saraiva, a “Faculdade de Belas-Artes faz parte do centro histórico de Lisboa e, para nós CML, é muito importante que assim se mantenha pois isso é importante para a vivência da própria cidade”.

Na ocasião, o facto de se aproximar o início da “Lisboa Capital Verde 2020”, serviu de pretexto para o vice-presidente da CML lembrar que o OP do próximo ano será inteiramente dedicado às questões da sustentabilidade ambiental, realçando até o reforço de dotação.

Simultaneamente, João Paulo Saraiva anunciou que, muito em breve, a CML dentro do espírito da Lisboa Capital Verde da Europa 2020, vai lançar um desafio a várias instituições da cidade – como escolas, universidades, empresas – no sentido de assumirem um conjunto de compromissos a médio prazo para fazerem de Lisboa uma cidade mais sustentável (nomeadamente através de mudança de velhas práticas ou a introdução de novas).

O projeto OP do Largo das Belas-Artes

Melhorar as características do Largo da Academia Nacional de Belas-Artes nas componentes de tráfego, mobilidade e equipamento, de modo a torná-lo uma efetiva extensão da maior escola de artes e design do país mas também o centro da vida pública do Chiado, além de promover a reformulação do largo de modo a torná-lo um prolongamento da Faculdade para o exterior, um ponto de encontro e lugar de repouso e lazer, são as principais linhas que norteiam a intervenção, orçada em 300 mil euros.