Início » Polo Cultural Gaivotas - Boavista
saber mais sobre Escola das Gaivotas
saber mais sobre Residencias das Gaivotas

 

O Polo Cultural Gaivotas | Boavista é um espaço para criação, ensaio e formação, que tem como missão ser um centro de proximidade funcional e um Espaço-Identidade de trabalho, disponibilizado pela Câmara Municipal de Lisboa, aos agentes culturais na Cidade.

Situado no eixo Cais do Sodré-Santos, o mesmo dispõe de dois equipamentos culturais, a Escola das Gaivotas e as Residências da Boavista.

Com sede na Escola das Gaivotas, o Polo disponibiliza neste edifício um centro de criação artística constituído por salas de ensaio (dança, música, teatro e polivalente) e de formação, devidamente equipadas, e por um conjunto de salas de escritório para sedes de entidades de produção cultural.

A menos de 5 minutos da Escola, quatro apartamentos - as Residências da Boavista - encontram-se prontos a receber artistas, nacionais e estrangeiros, em processo de criação em Lisboa.

Para além destas duas valências, o Polo apresenta o "Lusco-fusco", uma programação de verão no pátio da Escola das Gaivotas.


Polo Cultural Gaivotas | Boavista (sede)
Rua das Gaivotas, n.º 8 | 1200-202 Lisboa
Tel. (+351) 218 172 600
 pologaivotasboavista@cm-lisboa.pt
Horário da receção: 8h às 20h | segunda a domingo

Ver todos os contactos e horários

Em destaque

Polo acolhe vencedor do 3.º concurso de Residências Artísticas Lisboa-Maputo

Em 2017, o Polo Cultural Gaivotas | Boavista irá acolher nas Residências da Boavista o fotógrafo moçambicano Mário Macilau, vencedor da 3.ª edição da Residência Artística para Artes Visuais e Fotografia, no âmbito do protocolo de cooperação celebrado entre a Câmara Municipal de Lisboa e o Camões – Centro Cultural Português - Maputo.

O júri do concurso decidiu por unanimidade selecionar a proposta de trabalho de Mário Macilau, pela sua pertinência e adequação à lógica de criação artística contemporânea que se pretende privilegiar neste programa.

Este programa de residência destina-se a artistas visuais e/ou fotógrafos, de nacionalidade moçambicana ou residentes em Moçambique, há mais de dez anos, que já tenham currículo na área e pretendam desenvolver um projeto coerente, consistente com o seu percurso artístico, pertinente na proposta de relação com a cidade de Lisboa e com reconhecido interesse no âmbito da arte contemporânea.

Mário Macilau estará em residência em Lisboa entre 16 de maio a 16 de junho.

Mais informações em bit.ly/2je5mFm