Lisboa: Saúde e Bem Estar

O setor da Saúde e Bem-Estar assume um particular relevo estratégico para o futuro da cidade, por ser de elevada intensidade tecnológica e de conhecimento. Este é um dos setores que  ilustra a necessidade de Lisboa (e Portugal…) ser capaz de pensar e agir em diferentes horizontes temporais.
O papel do setor é reforçado pela importância que a cidade assume a nível nacional, enquanto espaço de concentração de funções de topo e de investigação e desenvolvimento, reforçada pelas tendências recentes como a do Center for the Unknowned da Fundação Champalimaud e com a instalação nos últimos 12 meses de várias empresas farmacêuticas em Lisboa, destacando-se o caso da PPD, e ainda a instalação da Bial e da Hovione no Campus do IAPMEI.

Pensando num horizonte temporal um pouco mais longo, o facto de Lisboa estar a passar por um processo de transformação profundo ao nível do seu parque hospitalar com o encerramento de hospitais antigos situados em zonas centrais da cidade e a abertura de um grande hospital central com valências ao nível da investigação clínica e formação universitária o que poderá ser encarado como uma janela de oportunidade para posicionar Lisboa como um ator internacional na área da saúde.

Este novo hospital público será naturalmente uma âncora importante para que a cidade possa atrair um conjunto diversificado de atores empresariais e de investigação em diferentes áreas das ciências da saúde (empresas farmacêuticas, biotecnológicas, farmacogenómica, equipamento e instrumentação médica, clínicas médicas, entre outros). Neste sentido, o novo Hospital Central de Lisboa poderá ser muito mais do que um mero hospital.