Areeiro, Arroios, Penha de Franca

Demonstração das Forças de Proteção Civil

11, Julho 2015
  • Demonstração e Meios dos Agentes de Proteção Civil – Segurança e Socorro em Lisboa
    Demonstração e Meios dos Agentes de Proteção Civil – Segurança e Socorro em Lisboa
  • Demonstração e Meios dos Agentes de Proteção Civil – Segurança e Socorro em Lisboa
    Demonstração e Meios dos Agentes de Proteção Civil – Segurança e Socorro em Lisboa
  • Demonstração e Meios dos Agentes de Proteção Civil – Segurança e Socorro em Lisboa
    Demonstração e Meios dos Agentes de Proteção Civil – Segurança e Socorro em Lisboa

Lisboa recebe, de 10 a 12 de julho, a “Demonstração e Meios dos Agentes de Proteção Civil – Segurança e Socorro em Lisboa", integrada no programa Lisboa, Cidade + Resiliente + Segura - 260 Anos do Terramoto de 1755.

O objetivo, informou Carlos Manuel Castro, passa por "transmitir à população os cuidados a ter face aos riscos dos desastres naturais". Em Lisboa, referiu o vereador, "sentimos a necessidade de chegar à população e em conjunto com ela trabalhar diariamente".

Uma ação, "relevante para Lisboa mas também para o resto do país", considerou o vereador da Segurança e Proteção Civil da Câmara Municipal de Lisboa.

A iniciativa, sublinhou, "traduz bem aquilo que estamos a desenvolver na cidade de Lisboa, de procurar fazer uma articulação integrada e coordenada de todos os agentes", não só da cidade mas de toda a região da grande Lisboa.

Durante três dias, de 10 a 12 de julho, na Alameda Dom Afonso Henriques, foram divulgadas as valências do sistema Municipal e Nacional de Proteção Civil através da exposição e demonstração, fora do contexto de emergência, dos meios humanos e materiais das seguintes entidades: Proteção Civil (Autoridade Nacional de Proteção Civil e Serviço Municipal de Proteção Civil de Lisboa); Corpos de Bombeiros (Regimento de Sapadores Bombeiros e Bombeiros Voluntários da Cidade de Lisboa); Forças de Segurança (Polícia de Segurança Pública, Guarda Nacional Republicana e Polícia Municipal de Lisboa); Forças Armadas (Força Aérea, Marinha, Exército); Saúde (INEM e Cruz Vermelha Portuguesa.

O programa, que contou com a colaboração das Juntas de Freguesia da cidade, e a presença, e participação ativa, de centenas de espetadores - incluindo um grupo de crianças e jovens do programa Praia-Campo Infância 2015 dos Serviços Sociais da Câmara de Lisboa, apresentou alguns momentos de destaque como a atuação do Grupo Operacional Cinotécnico da PSP, e um Simulacro de Desencarceramento com a participação articulada das forças no terreno. Útil, e participada, foi igualmente a demonstração "Mass Training em suporte básico de vida - saber agir em caso de emergência médica, aprender a salvar uma vida".

Hora de Ouro

A primeira hora após um acidente - a Hora de Ouro -, é vital para os feridos, sendo a "possibilidade de sobrevivência elevada". Isso mesmo foi demonstrado no Simulacro de Desencarceramento levado a cabo por "todas as forças no terreno", com a coordenação de um elemento do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa.

Simulando os "procedimentos de uma situação real", o desencarceramento das duas viaturas e transporte das quatro vitimas para o hospital foi realizado em cerca de 40  minutos, um tempo só possível graças à "calma e boa coordenação da equipa".

Durante as manobras, acompanhadas com muita atenção pelas centenas de pessoas presentes na Alameda, um elemento do RSB deixava alguns conselhos importantes e sublinhava o "bom comportamento" das pessoas, que rodeavam o local, como uma regra de ouro a ter sempre presente numa situação real: não atrapalhar a operação de socorro.

Em Lisboa, registam-se todos os anos cerca de 400 acidentes com vitimas encarceradas. Quanto mais precoce for a estabilização das vítimas, maiores serão "as possibilidades de recuperação", alertaram os operacionais. Um minuto pode salvar uma vida.

Array
Mais notícias sobre:
Areeiro, Arroios, Penha de Franca