Segurança

Dia de Portugal assinalado no Terreiro do Paço

10, Junho 2016
O Dia 10 de Junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, foi assinalado no Terreiro do Paço, com uma cerimónia militar comemorativa.

Milhares de pessoas assistiram, no dia 10 de Junho, às cerimónias oficias do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, no Terreiro do Paço, em Lisboa.

Após a continência pelas Forças em parada, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, passou revista às tropas, seguindo-se uma homenagem aos militares mortos em combate.

Na imposição de condecorações militares, Marcelo Rebelo de Sousa, que considerou este dia como o dia de celebrar as Forças Armadas, condecorou três antigos combatentes da guerra colonial e três militares no ativo, “por se terem destacado no cumprimento de missões no âmbito nacional e internacional".

Os três antigos combatentes condecorados foram: António Nunes, 1º cabo auxiliar enfermeiro da 3ª Companhia de Caçadores do Batalhão de Caçadores 4613, do Regimento de Infantaria nº 16, por feitos praticados em Angola, em 2 de outubro de 1974, que recebeu a Medalha da Cruz de Guerra de 3.ª Classe; a Medalha da Cruz de Guerra de 4.ª Classe foi atribuída a José Santana, soldado do Agrupamento de Engenharia de Moçambique, por feitos praticados em 3 de setembro de 1973 e a António Alves, soldado de transmissões da Companhia de Artilharia nº 3501, do Batalhão de Artilharia n.º 3876, do Regimento de Artilharia Ligeira nº 5, por feitos praticados em Moçambique, em 18 de junho de 1974.

A Medalha da Cruz De Guerra destina-se a galardoar "atos ou feitos de bravura praticados em campanha por cidadãos, militares ou não, nacionais ou estrangeiros” e por “feitos praticados em campanha, frente ao inimigo”, que “denotem coragem, decisão, serena energia debaixo de fogo e sangue frio".

Os militares no ativo condecorados foram: Armando Leitão, coronel técnico operador de comunicações e de criptografia, da Repartição de Informações Militares do Comando Aéreo, que recebeu a Medalha de Serviços Distintos, Grau Prata, destinada a galardoar "serviços de carácter militar, relevantes e extraordinários, ou atos notáveis de qualquer natureza ligados à vida da instituição militar, de que resulte, em qualquer dos casos, honra e lustre para a Pátria ou para a própria instituição". O sargento-chefe de Infantaria José Gouveia recebeu a Medalha de Serviços Distintos, Grau Cobre, por feitos praticados em 15 de abril de 2016, quando estava em missão no Kosovo. O cabo telegrafista Luís Lopes, da Escola de Tecnologias Navais, recebeu a Medalha de Mérito Militar de 4.ª Classe, que galardoa "os militares que revelem excecionais qualidades e virtudes militares, pela afirmação constante de elevados dotes de carácter, lealdade, abnegação, espírito de sacrifício e de obediência e competência profissional".

A cerimónia, acompanhada por Fernando Medina, presidente da Câmara de Lisboa, e vereação municipal, prosseguiu com um desfile em parada e uma demonstração de capacidades militares dos três ramos das Forças Armadas.

As comemorações do 10 de junho encerram com o arriar da Bandeira Nacional, no Cais das Colunas, cerimónia que contou com a presença de Duarte Cordeiro, vice-presidente da Câmara de Lisboa. 

Array
Mais notícias sobre:
Segurança