Alvalade, Ambiente, Avenidas Novas

Jardim Mário Soares no renovado Campo Grande

25, Abril 2018
Presidente da República, presidente da Assembleia da República, primeiro ministro e presidente da Câmara assinalaram 25 de Abril com homenagem a Mário Soares
  • Jardim Mário Soares
    Jardim Mário Soares

O renovado Jardim do Campo Grande - cujas obras de reabilitação se inauguraram - leva agora o nome de Mário Soares. A cerimónia de atribuição do novo topónimo decorreu simbolicamente no dia em que se comemora a Revolução de 25 de Abril de 1974, que instaurou a democracia em Portugal - a que a figura do antigo Presidente da República se encontra intimamente ligada.

A cerimónia contou com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, do presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, do primeiro ministro, António Costa, e do presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, sublinhando a importância do ato de homenagem. Para além de membros do governo, deputados, vereadores, presidentes de juntas de freguesia e militares de Abril, marcaram também presença familiares e amigos de Mário Soares.

Depois de se percorrer parte do jardim agora reabilitado, o cortejo de homenagem deteve-se junto de um memorial a Mário Soares - um "totem" que traça uma pequena biografia do homenageado. Contudo, a cerimónia teria lugar um pouco mais além, em frente à casa onde Mário Soares viveu a sua vida e onde agora está instalado um recinto destinado a quem quiser usar da palavra livremente ("speaker corner"), iniciando-se com os "violinos do Moderno", composto por violinistas da escola de música do Colégio Moderno, que executaram duas peças musicais clássicas, e com a leitura de um trecho de "Portugal Amordaçado", de Mário Soares, por Jonas Soares, neto do homenageado.

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, considerando ser "difícil homenagear alguém que nos deu tanto", salientou a importância de "dar o nome de Mário Soares a um jardim, espaço de encontro, de vida e de conspiração", de instalar um totem "para as novas gerações conhecerem melhor o seu legado" e de "criar um espaço para o uso da palavra pelos cidadãos - pois a voz e a palavra foram as grandes armas de Mário Soares". O edil lisboeta, que confidenciou ter esta iniciativa sido ideia de António Costa, responsável pelo arranque das obras de recuperação do jardim enquanto ainda autarca, agradeceu também a adesão da filha do homenageado, Isabel Soares, ao vereador dos Espaços Verdes que tutelou a obra, José Sá Fernandes, ao designer Henrique Cayatte, que projetou os elementos físicos da homenagem, a José Manuel dos Santos, incansável amigo de Mário Soares, e a Carla Matos, que organizou esta cerimónia.

A filha de Mário Soares, Isabel Soares, agradeceu esta iniciativa, no lugar onde o pai "namorou, passeou e conspirou e onde nos trouxe, aos filhos, pela mão, testemunhando o seu amor pelas árvores e pela natureza", recordando que "os almoços de domingo eram sempre seguidos de passeio pelo jardim".

O primeiro ministro, António Costa, referiu-se a esta iniciativa como "uma homenagem à voz e ao rosto da liberdade, que devemos aos militares de Abril mas também a todos os que antes fizeram a sementeira". Para o governante, existe agora "uma lógica no percurso que se inicia na Praça dos Restauradores, passando pelas avenidas da Liberdade e da República e acabando no Jardim Mário Soares", evocando o "amor às árvores e aos jardins" do estadista que faleceu no ano passado, símbolo da "vida que se renova e nos ajuda a manter viva a árvore da democracia".

Por seu lado, Eduardo Ferro Rodrigues, presidente da Assembleia da República, sublinhou a importância de homenagear aquele cuja vida "se confunde com a segunda metade do século XX português, o militante número um da nossa democracia".

A intervenção final coube ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que se referiu às comemorações deste dia como "memória da liberdade, sendo que Mário Soares equivale à palavra liberdade". O Chefe de Estado concluiu agradecendo à Câmara Municipal de Lisboa e aos lisboetas, "que estão de parabéns" por esta iniciativa, garantindo que "nunca esqueceremos Mário Soares e Maria de Jesus Barroso". A cerimónia encerrou com o Hino Nacional, cantado por um coro de crianças do Colégio Moderno.

Sobre o jardim Mário Soares 

Array
Mais notícias sobre:
Alvalade, Ambiente, Avenidas Novas