Avenidas Novas, Intervenção social, Município

"O Nosso Km2" promove desenvolvimento comunitário

10, Novembro 2014
  • Dia "O Nosso Km2" na Fundação Calouste Gulbenkian
    Dia "O Nosso Km2" na Fundação Calouste Gulbenkian

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, António Costa, acompanhado dos vereadores Paula Marques e Duarte Cordeiro, participou em 10 de novembro na sessão de encerramento do “Dia Nosso Km2”. Uma cerimónia realizada na Fundação Calouste Gulbenkian, que contou também com a presença do seu presidente, Artur Santos Silva.

"O Nosso Km2" é um projeto da Fundação Calouste Gulbenkian e da Câmara de Lisboa, que envolve um conjunto de várias instituições e parceiros com o objetivo de mobilizar a comunidade do Bairro de Santos ao Rego na procura de soluções que melhorem a sua qualidade de vida através da criação de redes de vizinhança e colaboração, facilitando o envolvimento de pessoas, entidades e instituições, e promovendo a troca de saberes e experiências.

A apresentação do balanço do primeiro ano desta iniciativa esteve a cargo dos vários intervenientes no projeto, nomeadamente membros da fundação, técnicos da autarquia e membros da comunidade, que tiveram oportunidade de expor os vários projetos em curso.

Na ocasião foi assinado um novo protocolo de colaboração,  por António Costa, Artur Santos Silva, Rita Valadas, da Santa Casa da Misericórdia e Sérgio Cintra, da Gebalis. Um segundo protocolo para cedência de dois espaços foi assinado ainda por Paula Marques, vereadora da CML, e Rui Mendes, presidente do Instituto Padre António Vieira.

 

Reforço de parcerias

António Costa explicou que estes novos acordos assinalam a formalização do reforço das parcerias existentes no âmbito do projeto O Nosso Km2, vinculando o município à participação na concretização do plano de ação aprovado pelos parceiros e a estimular o crescimento da rede de parceiros locais que podem intervir e interagir na comunidade. Compromete-se ainda a promover conjuntamente com os restantes parceiros, uma verdadeira governação integrada no território correspondente à Freguesia das Avenidas Novas.

A construção de parcerias permite incorporar várias perspetivas, promovendo o envolvimento e a participação, reunindo competências dispersas, cuja convergência pode resultar em soluções mais eficientes. É possível combater uma “cultura de minifúndio” transportada do espaço rural para a vida na cidade e das organizações, que tantas vezes tem servido de “contra vapor” ao progresso do país, acrescentou o presidente da Câmara.

 

Governação integrada

A governação integrada inclui agentes públicos e privados, com e sem fins lucrativos, voluntários ou profissionais, estabelecendo um relacionamento que favoreça a participação, o envolvimento, a responsabilização e a ação conjunta dos cidadãos, para combater o isolamento e o enfraquecimento das relações de vizinhança, apostando numa sólida rede de parceiros ativos.

António Costa referiu ainda que antes de intervir no território foram realizados vários estudos de diagnóstico que permitiram identificar as realidades que exigiam uma intervenção mais urgente, resultando em três prioridades: o desemprego jovem e feminino, os idosos solitários e a relação intergeracional e intercultural.
 
Outros projetos que têm surgido desta parceria, nomeadamente o espaço Cowork, o Festival da Ponte, o projeto Bip-Zip ComUnidade, ou a recente formação da primeira associação de moradores, a Associação Passa Sabi, expressam a vontade dos moradores de exercerem uma cidadania ativa com o objetivo de melhorar o dia-adia de todos os que vivem no bairro.
 
"O Nosso KM2 cresceu e pretende-se que isto se reflita na contribuição de cada um dos parceiros", disse António Costa, concluindo que “cada pessoa tem o dever de cuidar do espaço ao seu redor, ou seja, do seu Km2. Todos podemos e devemos contribuir quotidianamente nesse esforço sem fim que significa construir a cidade porque só juntos construímos melhor”.

Array
Mais notícias sobre:
Avenidas Novas, Intervenção social, Município