Arroios, Comercio

Regiões do país mostram-se no Intendente

20, Julho 2013
  • Assinatura protocolo com associações de desenvolvimento regional
    Assinatura protocolo com associações de desenvolvimento regional

Seis associações de desenvolvimento regional e a Câmara Municipal de Lisboa assinaram, no dia 19 de julho, um protocolo que visa a instalação, em breve, de um espaço no Largo do Intendente que seja a montra da diversidade agro-alimentar e turística dos territórios portugueses.

O projeto junta a ADER-AI (Associação para o Desenvolvimento em Espaço Rural do Norte do Alentejo), a CoraNE (Associação de Desenvolvimento dos Concelhos da Raia Nordestina), a LEADERSOR (Associação para o Desenvolvimento Integrado do Sor), a Pinhal Maior (Associação de Desenvolvimento do Pinhal Interior Sul), a Tagus (Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Interior), a Terras de Sicó e a autarquia lisboeta. O espaço, localizado num piso térreo do Largo do Intendente, terá loja agro-alimentar, zona de exposições e um programa de animação, contando com a Câmara da capital para a revitalização desta zona da cidade, para o estabelecimento de parcerias na realização de eventos e para a promoção do espaço junto de entidades como a Associação de Turismo de Lisboa e a EGEAC.

No ato de assinatura do protocolo, que decorreu ao ao livre, em pleno Largo do Intendente, Maria do Céu Albuquerque, em representação das associações regionais, sublinhou o alcance desta iniciativa que envolve, no âmbito do PRODER, 34 municípios do país, diversas associações regionais e um número considerável de produtores de vários setores de atividade económica, visando "a valorização e a divulgação dos produtos dos territórios, estimulando a produção local e o turismo e, assim, a qualidade de vida destas populações". Para esta responsável, o futuro espaço irá "estimular o consumo dos produtos locais não só no mercado interno, lisboeta, mas também no externo, ao mostrar-se ao turismo que procura Lisboa".

Maria do Céu Albuquerque, que agradeceu a António Costa, presidente da CML, o "apoio entusiasta ao projeto", e a Duarte Garcia, proprietário da Cerâmica Viúva Lamego, que cedeu "este espaço acolhedor e atrativo", considerou ainda que esta "montra das regiões" fará com que "os lisboetas possam ir à terra sem sair de Lisboa".

O presidente da Câmara, António Costa, agradeceu "a confiança pelo investimento nesta zona de Lisboa". Referindo que a população da cidade resulta do "privilégio de esta ter acolhido gente de todo o país, e por isso é o que é", o autarca espera que este novo espaço venha a contribuir para que "todos sintam Lisboa como uma parte de si". Recordando o tempo em que transferiu o seu gabinete de trabalho para o Largo do Intendente, António Costa sublinhou que "foi preciso muita gente acreditar e investir aqui" para se concretizar a evidente mudança do local, "a começar em Duarte Garcia", que aqui manteve a Viúva Lamego e investiu nestes imóveis, passando pelas Joanas "cujo café hoje faz um ano de aqui se ter instalado", pelas associações Largos do Intendente, Sou e Independentes, ou por Catarina Portas, "que aqui vai abrir uma Loja Portuguesa".

O protocolo foi assinado por António Miguel Borges e Maria do Céu Albuquerque, pela Tagus, Pedro matos Espadinha e Maria Manuel Vacas de Carvalho, pela ADER-AI, Artur Rodrigues Nunes, pela CoraNE, José Vasco Mata Fome, pela LEADERSOR, João Catarino e José Farinha Nunes, pela Pinhal Maior, e António Costa, pela Câmara Municipal de Lisboa.

O ato foi abrilhantado pelas prestações da Orquestra de Nova Guitarra, por um grupo de acordeonistas e por uma apresentação de cozinha ao vivo, pelo chef Hélio Loureiro.

Array
Mais notícias sobre:
Arroios, Comercio