Vai nascer a Casa da Paz em Monsanto

Setembro 25, 2012

Casa da Paz é a designação com que a União Budista Portuguesa batizou o novo templo que vai nascer em Monsanto nas antigas instalações do restaurante Luneta dos Quartéis que dispõe de uma inigualável vista sobre a cidade. A apresentação do projeto teve lugar no passado dia 25 de setembro, no auditório do Espaço Monsanto e contou com a presença do vereador dos espaços verdes José Sá Fernandes.

Um conjunto de figuras conhecidas do grande público onde se contavam o músico Pedro Ayres Magalhães, o artista plástico Júlio Pomar, o ator Heitor Lourenço, o humorista Nuno Markl entre outros, estiveram presentes na apresentação do novo templo da União Budista Portuguesa que nascerá dentro de um ano em Monsanto.
No discurso de apresentação Sá Fernandes referiu ser este um projeto que se arrastava há mais de 30 anos e que agora conhecia um desfecho feliz. “Monsanto é um sítio único em termos europeus, uma mancha verde modelo, com um património arbóreo singular e que é necessário preservar e manter”, explicou o vereador acrescentando a necessidade de atrair públicos diversos e por isso ser fundamental este tipo de parcerias que atraem públicos e promovem o contacto com a natureza. Sá Fernandes aproveitou para anunciar a abertura para dezembro do célebre corredor verde, “promessa que vem dos anos 70”, e que finalmente ligará o jardim Amália Rodrigues ao parque de Monsanto. Acrescentou também o projeto de requalificação da sinalética do parque e a implementação de um processo de georreferência via telemóvel para orientar os visitantes do parque.
 
Usando da palavra o presidente da União Budista Portuguesa agradeceu à CML o protocolo assinado para cedência do espaço onde irá nascer a Casa da Paz, um espaço, segundo explicou, vocacionado não só para as atividades budistas tradicionais, mas também para acolhimento de mestres internacionais e o desenvolvimento de atividades que promovam a prática do budismo, seja de carater inter-religioso, seja de carater científico, convertendo-se num espaço de referência internacional no seio da comunidade budista mundial, na promoção dos valores da paz e da não violência.
 
No final foi ainda apresentado o plano de meios para angariação de fundos que permitam a concretização do projeto e a requalificação do espaço. Espera-se que o projeto esteja em funcionamento dentro de um ano.