Conferência internacional “Crescer com Energia”

23, Outubro 2014
  • Conferência internacional “Crescer com Energia”
    Conferência internacional “Crescer com Energia”

“Crescer com Energia - Cidades, Reabilitação Urbana e Crescimento Sustentável” foi o tema de uma conferência internacional promovida pela Câmara de Lisboa, no dia 23 de outubro, que juntou no Instituto Superior Técnico políticos nacionais e estrangeiros, especialistas, empresários investigadores e estudantes.

Em cima da mesa esteve um tema que tem preocupado a classe política dirigente e a sociedade em geral. As cidades que queiram atingir altos níveis de qualidade de vida e de crescimento económico terão, nos próximos anos, que fazer uma abordagem integrada face aos desafios atuais, promovendo iniciativas inovadoras e boas práticas, em áreas como a reabilitação urbana ou a eficiência energética, aplicada à construção ou aos transportes.

Na sessão de abertura, António Costa, presidente da CML, lembrou que o século XXI é o século das cidades. E será nas cidades, disse, que se vão ganhar ou perder parte dos grandes desafios da Humanidade.

Próximos desafios

As cidades são o habitat natural da economia baseada no conhecimento, enquadrou António Costa. São elas que produzem e atraem capital humano e é nelas que estão os maiores interfaces de comunicação: “Se, por um lado, cerca de três quartos dos europeus vivem nas suas cidades, consumindo 70% da energia produzida na União Europeia, por outro, muitas das nossas cidades são caracterizadas pelo seu valioso património edificado, com necessidades evidentes de reabilitação. A preservação e a requalificação dos centros históricos deverão ser assumidas como uma das prioridades das políticas públicas, sendo estas indissociáveis de uma economia hipocarbónica e eficiente na utilização dos seus recursos, promovendo sempre a eficiência energética e a produção local de energia.”

A par da reabilitação e da requalificação, António Costa aponta outros desafios importantes para a criação de cidades cada vez mais sustentáveis e inclusivas, como a modernização dos sistemas de transportes, de forma a tornar a mobilidade urbana mais eficiente e contribuindo para uma mudança de paradigma assente na redução das emissões de CO2 e na melhoria da qualidade do ar.

“Investir na reabilitação e na eficiência energética nas cidades”, afirma o autarca, “representa um grande potencial de ganhos sociais, económicos e ambientais”. De igual modo, é fulcral “promover o emprego, especificamente no sector da construção, dinamizando e inovando nas áreas da engenharia, arquitetura, reabilitação de edifícios, informação e tecnologias da comunicação e energias renováveis que, ligadas às universidades e aos sectores da inovação tecnológica, podem criar spin-offs muito importantes e contribuir para a sustentabilidade do futuro urbano.”

Partilha de experiências

Após a intervenção do presidente da Câmara de Lisboa, Maria Santos, administradora da Lisboa E-Nova, iniciou a moderação das intervenções. Manuel Salgado, vereador do Urbanismo, foi o primeiro a intervir, abordando as questões das políticas de reabilitação urbana e mobilidade na cidade de Lisboa. Bernard Soulage (Região Rhône-Alpes, França), Ilmar Reepalu (Município de Malmö, Suécia), Neil Swannick (Município de Manchester, Reino Unido) e Paulo Ferrão (Instituto Superior Técnico), partilharam experiências, analisaram estratégias e identificaram desafios e sinergias para as cidades.

A conferência “Crescer com Energia” encerrou com as conclusões de José Sá Fernandes, vereador da Estrutura Verde e Energia, que salientou os esforços que estão a ser desenvolvidos no terreno pela Câmara de Lisboa, nos últimos anos, de forma a tornar a cidade cada vez mais sustentável.