Moradores da Boavista reunidos para debater obras no Bairro

11, Março 2013
  • 1º Workshop Boavista Ambiente +
    1º Workshop Boavista Ambiente +

Os habitantes do Bairro da Boavista, freguesia de Benfica, participaram no ‘1º Workshop Boavista Ambiente +’, que se realizou no dia 3 de março, no Polidesportivo Municipal da Boavista e onde puderam esclarecer todas as questões relativas às obras de melhoria do edificado e de infraestruturas do Bairro.

A prestar todos os esclarecimentos, estiveram presentes neste encontro, a vereadora da Habitação da Câmara Municipal de Lisboa, Helena Roseta, o presidente da GEBALIS (Gestão de Bairros Municipais de Lisboa), Sérgio Cintra, a presidente da Junta de Freguesia de Benfica, Inês Drummond, a presidente da Associação de Moradores do Bairro da Boavista (ARMABB), Gilda Caldeira e o coordenador do Gabinete do Bairro de Intervenção Prioritária (GABIP-Boavista), Rui Franco.

A sessão começou por apresentar em pormenor o Plano de Ação Eco Bairro da Boavista Ambiente +, aprovado e contratualizado entre a autarquia e a CCDR-LVT (Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional - Lisboa e Vale do Tejo), que incluirá a reabilitação dos edifícios de habitação, uma solução arquitetónica e urbanística para a “zona de alvenaria”; instalações de energia renovável; Internet sem fios para todos os moradores e a criação de um circuito pedonal de transporte de crianças no bairro, acompanhado por técnicos municipais especializados afetos à escola, entre casa, escola, piscina e outros equipamentos, que terá a designação de "PediBus".

O Plano de Ação prevê ainda a construção de uma série de novos equipamentos, como um ecocentro, um edifício comunitário/multiusos, uma infraestrutura de apoio ao mercado-feira, eco hortas e uma pista de BMX.

Houve ainda lugar a duas sessões de painéis temáticos onde os vários assuntos foram divididos por quatro mesas e onde todos tiveram oportunidade de colocar as suas questões.

O Bairro da Boavista, localizado na freguesia de Benfica e confinante com o Parque Florestal de Monsanto, foi construído pela CML na década de 40, para o realojamento das famílias provenientes de barracas dos arredores e na sequência de projetos de renovação urbana, como o viaduto Duarte Pacheco. Foi alvo de sucessivas fases de realojamento, estimando-se a sua população atual em cerca de 5.000 habitantes, com um total de 1.559 frações, das quais apenas 41 alienadas e entre as municipais, 510 na denominada zona de "alvenaria".

Pela verificação da sobreposição de défices económico, social, ambiental e urbanístico e após consulta pública, foi classificado como Bairro de Intervenção Prioritária de Lisboa, integrante da carta dos BIP-ZIP (Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária de Lisboa), aprovada em 2011 pela Assembleia Municipal como peça integrante do Plano Diretor Municipal de Lisboa.

Em 31 de Agosto de 2009, no âmbito dos Programas Integrados de Criação de Eco Bairros e no quadro da Política de Cidades – Parcerias para a Regeneração Urbana do QREN - Programa
Operacional de Lisboa, a CML apresentou uma candidatura do Programa de Ação Eco Bairro Boavista Ambiente +, com uma área de intervenção de 20 hectares, que inclui o Bairro Novo e o Bairro de Alvenaria (com 7,1 hectares).

A candidatura foi aprovada em 11 de Junho de 2010 numa primeira versão e reprogramada para o atual Plano de Ação em Julho de 2012 pela CCDR-LVT – Entidade gestora do POR Lisboa (Programa Operacional Regional).