Assinatura do acordo de colaboração com a Velo-city

19, Fevereiro 2019
Em 2021, Lisboa organiza a conferência Velo-city e será "capital da bicicleta".
  • Assinatura do acordo de colaboração com a Velo-city, nos Paços do Concelho
    Assinatura do acordo de colaboração com a Velo-city, nos Paços do Concelho
  • Assinatura do acordo de colaboração com a Velo-city, nos Paços do Concelho
    Assinatura do acordo de colaboração com a Velo-city, nos Paços do Concelho
  • Assinatura do acordo de colaboração com a Velo-city, nos Paços do Concelho
    Assinatura do acordo de colaboração com a Velo-city, nos Paços do Concelho
  • Assinatura do acordo de colaboração com a Velo-city, nos Paços do Concelho
    Assinatura do acordo de colaboração com a Velo-city, nos Paços do Concelho
  • Assinatura do acordo de colaboração com a Velo-city, nos Paços do Concelho
    Assinatura do acordo de colaboração com a Velo-city, nos Paços do Concelho
  • Assinatura do acordo de colaboração com a Velo-city, nos Paços do Concelho
    Assinatura do acordo de colaboração com a Velo-city, nos Paços do Concelho

A cidade de Lisboa vai acolher, em 2021, a conferência Velo-city. O acordo de colaboração foi assinado hoje, nos Paços do Concelho, entre a autarquia, a EMEL, e a Federação Europeia de Ciclismo, promotora do evento.

Miguel Gaspar, vereador da Mobilidade e Segurança, referiu que será "uma oportunidade para renovar o compromisso de Lisboa com a bicicleta, transformando o espaço público e construindo infraestruturas que irão tornar a cidade cada vez mais ciclável". Até 2021, a rede de ciclovias deverá crescer dos 100 km atuais para o dobro, avançou o vereador.

Márcio Deslandes, diretor da Velo-City, que visitou Lisboa pela primeira vez em 2015 regressando em novembro de 2018, mostrou-se impressionado com o desenvolvimento sustentável da cidade destacando uma "enorme evolução em apenas três anos".

Conferências reúnem especialistas de 60 países

As conferências Velo-city surgiram pela primeira vez na cidade alemã de Bremen, em 1980. Desde então, percorreram cidades como Copenhaga, Bruxelas, ou Barcelona. Depois de Dublin, este ano, e da Cidade do México em 2020, Lisboa acolherá o evento, vencendo as candidaturas de Ljubljana, na Eslovénia, e a cidade espanhola de Valência.

Reúnem, anualmente, cerca de 2.000 pessoas, de mais de 60 países, sobretudo urbanistas, engenheiros e arquitetos, mas também académicos, estudantes e ativistas pela mobilidade sustentável.