Pagina principal

Largo de Santos

LOCALIZAÇÃO DA ÁREA DE INTERVENÇÃO 

Freguesia: ESTRELA
Bairro: SANTOS


O Largo de Santos localiza-se na freguesia da Estrela, contíguo a norte da Av. 24 de Julho, genericamente circunscrito a nascente pelo Largo Vitorino Damásio e a poente pela Calçada Ribeiro Santos, embora a área total da intervenção contemple uma frente muito maior, pois abrange um segmento bastante extenso da Av. 24 de Julho, contíguo ao Largo.

A intervenção abrange todo o espaço público envolvente ao Jardim existente no espaço central do Largo, abrangendo os seus dois arruamentos envolventes a norte (Largo de Santos n.ºs 1 a 11) e nascente (Largo de Santos n.ºs 12 a 15); a frente sul do Jardim para a Av. 24 de Julho, bem como a própria Av. 24 de Julho neste troço e na frente de três quarteirões urbanos a nascente, até à esquina do Boqueirão dos Ferreiros, e de um quarteirão urbano a poente, até à esquina das Escadinhas da Praia; limitada a sul pelo corredor BUS da Av. 24 de Julho, abrangendo assim o cruzamento entre a Calçada Ribeiro Santos e o Largo de Santos com a Av. 24 de Julho.

Área intervenção aproximada: 31.000 m².

Início Obra: 9 de maio de 2016

Obra Concluída (maio de 2017)

Empreiteiro: Consórcio Vibeiras

                        Luis Frazão

 

 Projeto Reperfilamento Av. 24 de Julho – Troço Largo de Santos/Cais do Sodré (2.8 MB)

  • Aumento das áreas pedonais e de estadia;
  • Instalação de esplanadas em frente aos estabelecimentos de restauração;
  • Reordenamento do trânsito, destinando a via norte do jardim para Transportes Públicos, veículos de limpeza, de segurança e emergência;
  • Instalação de quiosque e pedonalização do arruamento a nascente do largo, garantindo um acesso direto ao largo Vitorino Damásio;
  • Criação de um amplo passeio público arborizado na Avenida 24 de Julho, complementado com uma ciclovia;
  • Instalação de novo mobiliário urbano e mais iluminação pública.

O concurso de empreitada para a requalificação do espaço público do Largo de Santos foi aprovado em Reunião de Câmara do dia 9 de setembro de 2015 (Proposta n.º 515/2015).

A adjudicação da empreitada foi aprovada na Reunião de Câmara de 29 de janeiro de 2016 (Proposta n.º 36/2016).

Na sequência da aprovação do programa UMA PRAÇA EM CADA BAIRRO, em reunião de Câmara de 28 de maio de 2014, passou-se para uma recolha de contributos por parte da população mais diretamente ligada aos locais de intervenção.

Com o processo de participação pretendeu-se obter, por parte dos cidadãos, uma avaliação sobre diferentes questões pertinentes na vivência do espaço público, com implicações tanto na concretização do desenho urbano, como na definição de prioridades de requalificação em cada praça, obter igualmente um diagnóstico da situação existente, recolher ideias e sugestões para a zona, apoiar a definição das prioridades de intervenção e integrar nos projetos os resultados em desenvolvimento. 

Foram submetidas Online participações dos cidadãos para o Largo de Santos, em novembro e dezembro de 2014, através da respetiva plataforma digital de participação da CML, e foram também realizadas duas sessões públicas no edifício do Teatro A Barraca.

A  1ª sessão decorreu no dia 21 de novembro de 2014 com o objetivo de ouvir a população sobre os problemas e as sugestões que identificam para a área de intervenção. 

Na 2ª sessão pública,  realizada no dia 23 de fevereiro de 2015, foram apresentadas as intenções de intervenção face às questões levantadas na 1ª sessão pública, posteriormente compatibilizadas com as questões técnicas inerentes a este tipo de intervenções.

Da análise das preocupações e sugestões apresentadas, salientam-se as seguintes:

ARTICULAÇÃO COM A ENVOLVENTE

  • Reestruturação viária, concentrando o trânsito de atravessamento na Av. 24 de Julho e Av. Dom Carlos I, libertando assim a envolvente interior do Largo de Santos para o seu usufruto essencialmente pedonal.

ESPAÇO PARA O PEÃO

  • Alargamento dos espaços pedonais existentes e criação de novos espaços pedonais, ligando-os numa estrutura única de continuidade;
  • Criar um espaço geral único, interessante e bonito para quem o atravessa ou nele passeia, mas igualmente cativante para se permanecer, com pontos de estadia e esplanadas.

JARDIM

  • Vedar o jardim de modo a que ele não se suje e degrade durante o período noturno e para que possa ser valorizado na sua utilização principal diurna, com investimento em vegetação e no mobiliário urbano, nomeadamente de mais bancos e melhor iluminação, e mais especificamente com a introdução de uma zona de fitness e um parque infantil.

CIRCULAÇÃO E MOBILIDADE

  • Libertar a envolvente interior do Largo de Santos não só do trânsito de atravessamento, mas também do trânsito de estacionamento, muitas vezes excessivo e desregrado, especialmente à noite;
  • O parque subterrâneo do Largo Vitorino Damásio e outros parques adjacentes, designadamente à beira rio, devem concentrar a procura de estacionamento, em bolsas próprias e específicas, não incompatíveis com a circulação pedonal no casco histórico.

OUTRAS SUGESTÕES  

  • Necessidade complementar de mais fiscalização específica, tanto de tráfego, como ao nível dos usos e da utilização dos espaços comerciais, e de cumprimento de horários e de níveis de ruído pelas atividades noturnas.

 

 

Espaço Público: estudar a pedonalização dos arruamentos envolventes ao Largo de Santos, unindo ao Jardim a frente edificada; alargamento do passeio norte e introdução de faixa confortável; promover ligações pedonais francas ao Cais de Santos;

Estudo Urbano: elaborar um estudo de fachadas para a envolvente edificada do Largo, através de uma nova paleta de cores e materiais, com predominância para o tratamento do rés-do-chão comercial, uniformizando a imagem arquitetónica desse plano;

Economia e Inovação: programa de apoio aos comerciantes de Santos potenciando as atividades lúdicas; Santos Design District;

Forças Fraquezas
Teatro A Barraca – Cinearte;
Frente edificada comercial forte no lado norte do Largo;
Praça Ribeirinha de transição entre o casco histórico e o Rio;
Boas acessibilidades de transportes públicos (carris e Refer);
Polo aglutinador em diferentes períodos do dia;
Integra a rede pedonal estruturante da cidade;
Estacionamento desordenado e incompatível com o peão ocupando o espaço público. Falta de uniformização e coerência ao nível do pavimento;
Deficiente acesso pedonal (e viário) ao Cais de Santos;
Oportunidades Ameaças
Integração do Largo de Santos na nova área de intervenção prioritária da frente ribeirinha central (que se estende até Santa Apolónia);
Integração no projeto urbano da Avenida 24 de Julho;
Documento Estratégico do Cais de Santos;

Não apropriação do espaço público do Jardim pelos utilizadores da frente edificada do Largo;