Pagina principal

Picoas

Freguesia: AVENIDAS NOVAS
Bairro: PICOAS
 
Compromissos:
Encontra-se abrangida pela área do Projecto Urbano Quatro Praças - Saldanha/Picoas/José Fontana/Estefânia e pelo Estudo de Espaço Público Eixo Terciário Principal.
 
PDM – Qualificação do Espaço Urbano:
Espaço Central e Residencial – Traçado Urbano B Consolidado.
 
Possui frentes edificadas integradas na Carta Municipal do Património:
Imóvel – Edifício de serviços (44.16).
 
O Local
Localizada no eixo central terciário de Lisboa, esta centralidade é marcada pelo edifício sede da Portugal Telecom e pelo Centro Comercial Imaviz e Hotel Sheraton.
Caracterizada pela forte presença do terciário, esta centralidade tem na sua área de influência 11.249 residentes, correspondendo a uma densidade populacional de 71,1 habitantes/ha e uma média de indivíduos por família de 2,04.

Obra Concluída (janeiro de 2017)

Na sequência da aprovação do programa UMA PRAÇA EM CADA BAIRRO, em reunião de Câmara de 28 de maio de 2014, passou-se para uma recolha de contributos por parte da população mais diretamente ligada aos locais de intervenção.

Com o processo de participação pretendeu-se obter, por parte dos cidadãos, uma avaliação sobre diferentes questões pertinentes na vivência do espaço público, com implicações tanto na concretização do desenho urbano, como na definição de prioridades de requalificação em cada praça, obter igualmente um diagnóstico da situação existente, recolher ideias e sugestões para a zona, apoiar a definição das prioridades de intervenção e integrar nos projetos os resultados em desenvolvimento. 

Desta forma, foram registadas Online participações dos cidadãos para as Praças de Picoas e Saldanha, durante o período de dois meses, novembro e dezembro de 2014, através da respetiva plataforma digital de participação da CML, e foram também realizadas duas sessões públicas no Mercado 31 de janeiro.

A  1ª sessão decorreu no dia 4 de dezembro de 2014, com o objetivo de ouvir a população sobre os problemas e as sugestões que identificam para a área de intervenção. 

Na  2ª sessão pública, realizada no dia 9 de março de 2015, foram apresentadas as intenções de intervenção face às questões levantadas na 1ª sessão pública, posteriormente compatibilizadas com as questões técnicas inerentes a este tipo de intervenções

 Apresentação (12.2 MB)

 

Da análise das preocupações e sugestões apresentadas na participação Online, salientam-se as seguintes:

ARTICULAÇÃO COM A ENVOLVENTE

• os participantes demonstraram preocupação com a articulação da intervenção com a envolvente urbana

ESPAÇO PARA O PEÃO

• alargar os passeios e criar mais áreas de sombra através da integração de novos espaços verdes no espaço público.

• mais elementos de água, como bebedouros.

• outro tipo de mobiliário urbano, assim como bancos ou mesas para zonas de estadia.

• arte na via pública.

• mais espaços de esplanadas

CIRCULAÇÃO E MOBILIDADE

• introdução de ciclovias

• menos estacionamento automóvel

• impedir o estacionamento abusivo de automóveis e motos nos passeios, através da introdução de elementos dissuasores.

• diminuição da circulação automóvel e melhoria da circulação pedonal introduzindo atravessamentos pedonais mais diretos e eficazes.

TRANSPORTES

• mais percursos para os autocarros da Carris

• retirar os táxis da praça.

MATERIAIS

• utilização de pavimentos diferentes

• retirar a calçada ou manter a calçada?

• trocar o asfalto das zonas de estacionamento.

Espaço Público: reduzir o espaço rodoviário ao canal central da Av. Fontes Pereira de Melo; uniformização do espaço público, através do alargamento dos espaços pedonais confinante à Avenida, criando duas áreas laterais com escala urbana para estadia de 20m e 35m de largura; criação de uma estrutura arbórea unificadora da Praça, reduzindo o impacto viário, contribuindo para a melhoria do ambiente urbano da Praça, e articulando com o “ampliado” Jardim Augusto Monjardino; transformação do nó de picoas na Praça de Picoas conduz a alterações viárias nos arruamentos envolventes, de forma a melhoras um grau semelhante de eficiência rodoviária; articulação do espaço público com a Praça José Fontana; integração de canal de mobilidade suave; concentração do seu papel de interface, através da relocalização das paragens da Av. Fontes Pereira de Melo/Picoas;

Economia e Inovação: envolvimento dos atores-chave das frentes comerciais (Centro Comercial Imaviz e Lojas PT) para dinamização da Praça;

Forças Fraquezas
Praça de descompressão urbana no Eixo Terciário Principal;
Os serviços existentes na Praça e zona envolvente (Hotéis, Centros Comerciais, Sedes de empresas, Maternidade Alfredo da Costa, mercado, escola secundária);
Metropolitano;
O estacionamento no espaço público cria incompatibilidades com o peão;
Inexistência de canal ciclável;
Pavimentos desadequados devido ao exagerado desenho rodoviário;
Difícil atravessamento da Praça;
Espaço público de uso pedonal diminuto;

Oportunidades Ameaças
Criação de uma verdadeira Praça aglutinadora;
Aproveitar a sinergia do novo proprietário da “Torre da Cidade”, articulando a intervenção com esse projeto urbano;
Reforçar o seu papel de interface, Simplificação do nó viário;
Anular o estacionamento à superfície nas faixas laterais;
Transformação do espaço público da Praça de Picoas pode ser um indutor de conflito viário na envolvente;
Possível encerramento da Maternidade Alfredo da Costa;