Pagina principal

Praça do Chile

LOCALIZAÇÃO DA ÁREA DE INTERVENÇÃO

Freguesia: ARROIOS
Bairro: ARROIOS

A área de intervenção localiza-se na Freguesia de Arroios e corresponde à Praça do Chile e às vias adjacentes, correspondentes aos primeiros quarteirões edificados que confinam a praça, nomeadamente a Avenida Almirante Reis, Rua Morais Soares e Rua António Pereira Carrilho.

 
A área de intervenção aproximada: 13.338 m2.

Objetivos

- Alargamento de passeios;

- Criação de pavimentos pedonais mais confortáveis e melhoria dos atravessamentos nas passadeiras dos peões;

- Criação de espaços de fácil circulação, movimentação e estadia pedonal, com introdução de mobiliário urbano e nova arborização;

- Construção de uma rotunda com 3 vias de trânsito;

- Instalação de um elemento ornamental com água em torno da estátua central de Fernão de Magalhães;

- Relocalização de armários técnicos e de painéis publicitários;

- Aumento das áreas verdes permeáveis;

- Reforço do número de marcos de incêndio;

- Melhoria e adaptação da iluminação pública;

- Criação de condições técnicas para a remoção de cabos de alimentação e de telecomunicações existentes nas fachadas dos edifícios, e sua instalação no subsolo;

- Melhoria e ajuste da sinalização e da semaforização.

Na sequência da aprovação do programa UMA PRAÇA EM CADA BAIRRO, em reunião de Câmara de 28 de maio de 2014, passou-se para uma recolha de contributos por parte da população mais diretamente ligada aos locais de intervenção.

Com o processo de participação pretendeu-se obter, por parte dos cidadãos, uma avaliação sobre diferentes questões pertinentes na vivência do espaço público, com implicações tanto na concretização do desenho urbano, como na definição de prioridades de requalificação em cada praça, obter igualmente um diagnóstico da situação existente, recolher ideias e sugestões para a zona, apoiar a definição das prioridades de intervenção e integrar nos projetos os resultados em desenvolvimento. 

Desta forma, foram registadas Online participações dos cidadãos para a Praça do Chile, durante o período de Janeiro a Fevereiro de 2015, através da respetiva plataforma digital de participação da CML.

Foram ainda realizadas duas sessões públicas, no Café Império, tendo a  1ª sessão pública decorrido no dia 12 de dezembro de 2014, com o objectivo de ouvir a população sobre os problemas e as sugestões para a área de intervenção. 

Foi ainda realizada uma  2.ª sessão pública, no dia 5 de março de 2015, na qual foram apresentadas as intenções de intervenção face às questões levantadas na 1ª sessão pública, e posteriormente compatibilizadas com as questões técnicas inerentes a este tipo de projetos.

Da análise das preocupações e sugestões apresentadas, salientam-se as seguintes:

ARTICULAÇÃO COM A ENVOLVENTE

conjugação com a intervenção no largo do Leão/parque subterrâneo  em Arroios /requalificação da estação de metro de Arroios.

CIRCULAÇÃO E MOBILIDADE

reestruturar o trânsito de atravessamento e distribuição local, através da recuperação do conceito de rotunda, toda a lógica de circulação no local;

melhorar a circulação pedonal de ligação entre os dois eixos principais da zona – a Av. Almirante Reis e a Rua Morais Soares – ao nível do alargamento físico dos passeios.

ESPAÇO PARA O PEÃO

alargar os passeios dentro da própria praça, com mais e melhor espaço para se andar, facilitando os atravessamentos;

criar na praça espaços e zonas atrativas de permanência e estadia;

alargamento de passeios nos eixos viários.

ESPAÇOS VERDES

introdução de espaços verdes  e  de arborização na praça, por forma a criar espaços sombreados de qualidade;

separador central com árvores, com destaque para o eixo Rua Morais Soares / Rua António Pereira Carrilho, em ligação ao Largo do Leão.

MOBILIÁRIO E EQUIPAMENTOS

melhorar a qualidade,  a localização e a organização do mobiliário e dos equipamentos urbanos;

introduzir novos equipamentos;

zonas de estadia com bancos e algumas mesas, e papeleiras;.

introdução de banca de jornais, revistas e jogos.

OUTRAS SUGESTÕES E QUESTÕES

aproveitar a intervenção na Praça do Chile, para impulsionar a requalificação urbanística da Rua Morais Soares, como espaço indutor da vida comercial de todo o bairro;

reorganização do estacionamento automóvel na zona, criando mais alternativas nas transversais ao estacionamento atual na Rua Morais Soares, no qual deverão permanecer apenas cargas/descargas e paragens bus.

Espaço Público: circulação viária em rotunda através da reposição de uma placa central de distribuição do trânsito, respeitando as linhas de ação para a Avenida Almirante Reis; identificação desta Praça, como porta de entrada do eixo comercial da Rua Morais Soares, que se pretende revitalizar e requalificar neste âmbito; propõe-se o alargamento de passeios, melhorando a circulação pedonal, quer na praça, quer na estrutura viária envolvente; melhoria do atravessamento pedonal; análise com a Carris da possibilidade de revitalização da carreira de elétrico, permitindo a ligação da Parada do Alto de São João ao Largo do Leão, ligando à Praça do Chile estas duas centralidades; articulação desta com a linha de metropolitano; análise da introdução de sistema suaves de mobilidade.

Economia e Inovação: programa de apoio à associação de comerciantes da Rua Morais Soares, com desenvolvimento de uma marca para o local;

Forças Fraquezas
Rótula Urbana entre dois importantes eixos comerciais da cidade: Avenida Almirante Reis e Rua Morais Soares;
Estação de Metropolitano (Linha Verde -Arroios);
Mobiliário adequado apesar de em mau estado de conservação;
Existência de alguma arborização;
Existência de infraestrutura ferroviária (rede de elétrico da Carris);  
Integra a rede pedonal estruturante da cidade;
Pavimento desadequado para a circulação pedonal e em mau estado de conservação;
Circulação viária complexa que não permite um correto funcionamento do mesmo;
Deficiente localização da Praça de táxis; Inexistência de ciclovia e de mobiliário urbano para estacionar bicicletas;
Ausência de serviços públicos;
Oportunidades Ameaças

Praça integrante da Rede Pedonal Estruturante do PDM;
Infraestrutura da linha de elétrico ainda existente embora sem utilização; 
Revitalização da carreira de elétrico; 


Mau estado de conservação do antigo Hospital de Arroios;
Forte carácter rodoviário, com difícil legibilidade;