Início » Voluntariado2015 » Objetivos e Eixos de Ação

Objetivos e Eixos de Ação

Do compromisso de Lisboa como Capital Europeia do Voluntariado 2015 resultam os seguintes objetivos:

  • Promover o voluntariado na cidade de Lisboa;
  • Contribuir para a visibilidade e o reconhecimento do voluntariado a nível local, nacional e internacional;
  • Promover sinergias sustentáveis para o voluntariado na cidade de Lisboa, assegurando o envolvimento das Juntas de Freguesia e das entidades;
  • Dar continuidade à implementação das recomendações da  A.P.E.V. – Agenda Política Europeia para o Voluntariado;
  • Contribuir para consolidar a visibilidade da competição Capital Europeia do Voluntariado.


Para a prossecução destes objetivos a Câmara Municipal de Lisboa concetualizou a Capital Europeia do Voluntariado segundo três eixos estratégicos alinhados com a A.P.E.V.:

 

Visando o desenvolvimento da qualidade dos processos de voluntariado, por exemplo através de:

  • Sensibilização para princípios e condições básicas de participação no voluntariado que devem ser assegurados pelas diferentes partes envolvidas;
  • Oportunidades de formação para voluntários e entidades;
  • Publicação de manuais sobre voluntariado;
  • Capacitação de equipas dedicadas à gestão de voluntariado;
  • Geração de conhecimento sobre o voluntariado;
  • Acordo de princípios de qualidade no voluntariado;
  • Partilha de práticas entre entidades e adoção de ferramentas que reconheçam boas práticas.

Visando o desenvolvimento de uma cultura de reconhecimento social, individual e formal do voluntariado, por exemplo através de:

  • Sensibilização pública para o valor social do voluntariado;
  • Disseminação de práticas de medição do voluntariado;
  • Estudo do impacte social do voluntariado;
  • Implementação do princípio da quantificação do valor económico e social do voluntariado;
  • Ferramentas para o reconhecimento individual das aprendizagens desenvolvidas em processos de voluntariado;
  • Mecanismos para o reconhecimento formal das aprendizagens desenvolvidas em processos de voluntariado;
  • Ações de reconhecimento público de voluntários.

Visando o melhoramento do ambiente político e jurídico para o exercício do voluntariado, por exemplo através de:

  • Oportunidades de financiamento a organizações promotoras de voluntariado;
  • Políticas eficientes de apoio ao voluntariado;
  • Articulação política coerente dos diferentes mecanismos de apoio e promoção do voluntariado;
  • Um quadro legal consolidado onde os direitos e responsabilidades de voluntários/as estão claramente identificados;
  • Facilitação de procedimentos relacionados com o voluntariado.