Investir, Município

Lisboa eleita Cidade Empreendedora Europeia 2015

25, Junho 2014
  • Lisboa eleita Cidade Empreendedora Europeia 2015
    Lisboa eleita Cidade Empreendedora Europeia 2015

Lisboa recebeu em Bruxelas, hoje dia 25 de junho, a distinção de Cidade Empreendedora Europeia, que premeia as melhores estratégias regionais para a promoção do empreendedorismo e da inovação junto das pequenas e médias empresas.

Na 107.ª reunião plenária do Comité das Regiões da UE (CR), o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, António Costa (PT-PSE), juntamente com representantes da Irlanda do Norte (Reino Unido) e de Valência (Espanha), obteve de Ramón Luis Valcárcel Siso, presidente do CR, o galardão da Cidade Empreendedora Europeia pela estratégia desenvolvida por Lisboa para fomentar o empreendedorismo e executar políticas europeias fundamentais como a chamada Lei das Pequenas Empresas (Small Business Act para a Europa – SBA) e a Estratégia Europa 2020 para o crescimento e o emprego.

O júri, composto por representantes das instituições europeias e de associações empresariais, reconheceu especificamente o impacto dos esforços realizados pela capital portuguesa para conquistar uma posição no Atlântico como polo de negócios e cidade de startups, tirando partido da sua situação geográfica enquanto porta de entrada para as Américas, África e a UE.

Lisboa reforçou, em particular, o seu estatuto de «startup city» através de uma impressionante série de iniciativas como a «Empresa na hora», que permite criar uma nova empresa em tempo recorde; a Startup Lisboa, incubadora de empresas fundada em 2012 e integrada num projeto de reabilitação urbana da Baixa lisboeta; o Programa de Empreendedorismo Jovem de Lisboa, que proporciona aos jovens educação e formação em áreas como a cidadania e a ética, a progressão na carreira, o empreendedorismo e a literacia financeira; e o Lisbon Challenge, que seleciona um conjunto de startups e lhes fornece apoio e orientação de primeira ordem, incluindo sessões em Boston, Londres e São Paulo.

«Lisboa é a primeira cidade a receber o prémio da EER – European Entrepreneurial Region. A sua estratégia demarca-se pela forma como interliga projetos já existentes em prol do empreendedorismo e da inovação a novas medidas específicas adotadas no âmbito da iniciativa EER», salientou o Presidente Valcárcel Siso durante a cerimónia de entrega do prémio. Acrescentou igualmente que «a estratégia resultante é um modelo válido para o modo como os municípios e as regiões poderão transformar os objetivos da Estratégia Europa 2020 em ações concretas, adaptadas às necessidades locais».

António Costa declarou que «Lisboa é uma cidade única com grande potencial empreendedor, uma autêntica «startup city». Esta tem sido uma prioridade da Câmara Municipal de Lisboa, que lançou uma série de projetos e programas articulados para o efeito. Etapas vitais neste processo foram a disponibilização de espaços para a incubação e experimentação de novos conceitos (como a Startup Lisboa e o FabLab Lisboa); a criação de instrumentos financeiros de apoio aos empresários; a introdução de programas de empreendedorismo nas escolas; o estabelecimento de redes de contactos entre as diferentes parcerias e espaços, como a Rede de Incubadoras de Lisboa e a Semana do Empreendedorismo; e a promoção e o apoio prestado a importantes eventos internacionais em Lisboa. Hoje em dia, Lisboa é reconhecida internacionalmente como um destino privilegiado para os empresários e foi apontada pela revista Entrepreneur como uma das melhores cidades do mundo para o empreendedorismo.»

O Comité das Regiões

O Comité das Regiões é a assembleia da UE dos representantes regionais e locais dos 28 Estados Membros. A sua missão consiste em fazer participar os órgãos de poder regional e local e as comunidades que representam no processo decisório da UE e informá-los sobre as políticas da União. A Comissão Europeia, o Parlamento Europeu e o Conselho são obrigados a consultar o Comité em domínios de política que digam respeito às regiões e aos municípios.

O Comité das Regiões pode recorrer ao Tribunal de Justiça da União Europeia em caso de violação dos seus direitos ou se entender que um ato legislativo da UE viola o princípio da subsidiariedade ou desrespeita as competências dos poderes regionais e locais.