Procissões pelas ruas de Lisboa

Procissões são manifestações de culto, em todos os povos e religiões, sendo uma manifestação externa e publica de fé. 

Existem inúmeras procissões ao longo do ano, em diferentes pontos do país, algumas associadas a festas pagãs.

Em relação a Lisboa, destacamos as que, pela sua tradição, são mais marcantes na vida da Cidade e envolvem a participação da população, não só local, e de visitantes/turistas.

Procissão de Nossa Senhora da Luz

Itinerário: Igreja da Luz - Rua da Fonte - Rua Neves Costa - Estrada da Correia - Largo do Jogo da Bola - Rua Maria Brown - Rua da Fonte - Jardim da Luz - Igreja da Luz

Corpo de Deus

31 de maio de 2018

Programa:

11h30  - Missa, na Sé
(Presidida por D. Manuel Clemente, Cardeal-Patriaraca de Lisboa)

13h00 - 16h00 - Adoração do Santíssimo Sacramento, na Sé

17h00 - Início da Procissão, na Sé

Itinerário: Largo da Sé - Rua das Pedras Negras - Rua da Madalena - Rua dos Condes de Monsanto - Praça da Figueira - Rua da Prata - Rua da Conceição - Rua de Santo António à Sé -Largo da Sé.

18h30 - Termo da Procissão, no Largo da Sé, com a Bênção do Santíssimo Sacramento

 + info

 

Uma das mais antigas procissões de Lisboa, a do Corpo de Deus, foi instituída  pelo Papa Urbano IV em 1264. Portugal foi um dos primeiros países a aderir à solenidade e em Lisboa, já se fazia a procissão no reinado de D. João I (1385-1433), sendo já conhecida pela pompa e pela imponência que manteve ao longo dos séculos, conjugando-se o manto real das majestades com as fardas das altas patentes do exército e da armada, ao mesmo tempo que o povo se juntava para ver a imagem de São Jorge.

Sempre em Junho, a festa tinha o seu início no Castelo de São Jorge, onde a imagem do santo era colocada sobre um cavalo e percorria as ruas da cidade guardada pelo seu pajem e pelo seu escudeiro, o "homem de ferro", que segurava o estandarte de São Jorge, o padroeiro da cidade e defensor da fé cristã. Geralmente, o escudeiro era um soldado da cavalaria, designado para vestir a pesada armadura e para zelar pelo ouro e  pedras preciosas que revestiam o chapéu e os trajes de São Jorge. Os criados do Paço ajudavam no transporte do santo, ao mesmo tempo que trombetas e tambores eram tocados, acompanhando a procissão.

Quando o cortejo chegava à Sé Catedral, era celebrada uma missa onde o Cardeal Patriarca elevava a custódia (corpo de Deus), aos presentes e a preparava para que,  finda a celebração, emergisse à porta da igreja sob um mágnífico pálio, rodeado por Suas Majestades e pela nobreza, formando-se a procissão, no qual o rei e os infantes tomavam uma das varas (geralmente a primeira da direita), sendo as restantes destinadas ao Presidente do Senado da Câmara e à antiga nobreza.

A procissão prosseguia o seu caminho passando pela Igreja de Santo António e pela Madalena até à baixa, percorrendo as suas principais ruas de onde partia para regressar de novo à Sé.

 

Procissão de Santo António

13 junho 2018

12h00: Celebração da Eucaristia
17h00: Procissão

A Procissão será presidida por D. José Traquina


Itinerário:

•         IGREJA DE SANTO ANTÓNIO (Imagem de Santo António)
 
•         LARGO DA SÉ (Pálio e Relíquia)
 
•         CRUZES DA SÉ
 
•         RUA DE S. JOÃO DA PRAÇA (Entra a imagem de São João da Praça)
 
•         LARGO DE SÃO RAFAEL
 
•         RUA DE SÃO MIGUEL (Entra a imagem de São Miguel)
 
•         RUA DA REGUEIRA
 
•         RUA DOS REMÉDIOS
 
•         RUA DO VIGÁRIO
 
•         LARGO DE SANTO ESTÊVÃO (Entra a imagem de Santo Estêvão)
 
•         RUA DAS ESCOLAS GERAIS (Entra a imagem de São Vicente)
 
•         TRAVESSA DE SÃO TOMÉ
 
•         RUA DE SÃO TOMÉ
 
•         LARGO DAS PORTAS DO SOL
 
•         LARGO DE SANTA LUZIA (Entra a imagem de São Tiago)
 
•         RUA DO LIMOEIRO
 
•         LARGO DE SÃO MARTINHO
 
•         RUA AUGUSTO ROSA
 
•         RUA DAS PEDRAS NEGRAS
 
•         CALÇADA DO CORREIO VELHO
 
•         LARGO DE SANTO ANTÓNIO
 
•         LARGO DA SÉ (Sermão e Te Deum Laudamus)
 
•         IGREJA DE SANTO ANTÓNIO (Recolha da Imagem de Santo António)


Procissão do Senhor dos Passos de Alfama

Itinerário: Igreja de Santo Estêvão - Rua do Vigário - Rua dos Remédios - Rua do Museu de Artilharia - Rua do Jardim do Tabaco - Largo do Chafariz de Dentro - Rua dos Remédios - Largo de Santo Estêvão - Igreja de Santo Estêvão

 

Procissão Nossa Senhora da Saúde

2018

Dia 6 de maio (domingo), 15h00 nas ruas da Mouraria

O culto a Nossa Senhora da Saúde é anterior ao século XVI,  e a  Procissão em honra da Virgem só foi instituída em 1570 num ano, em que mais uma vez Lisboa se encontrava dizimada pelos efeitos da peste, e onde a população desesperada pela intervenção divina apelava ao fim da doença.

Os artilheiros de São Sebastião que ocupavam a pequena ermida da Mouraria, fizeram um voto a Nossa Senhora para que terminasse a grande peste, o que veio a acontecer pouco tempo depois. Em agradecimento, instituíram a devoção e a procissão em honra da Senhora da Saúde que se realizou pela primeira vez a 20 de Abril de 1570, saíndo a imagem do Colégio dos Meninos Orfãos.

A tradição manteve-se até 1661, quando e devido a desentendimentos, a imagem ficou perpetuamente depositada na Ermida de São Sebastião que mudou de nome para Ermida de Nossa Senhora da Saúde, unindo-se desta forma as duas Irmandades que tomaram a designação, em 1662, de Senhora da Saúde e de São Sebastião.

Compunham-na os andores, os representantes do Senado da Câmara, o cabido, as irmandades, e os vários Regimentos que sempre se fizeram representar, cabendo aos oficiais da artilharia transportar aos ombros o andor da imagem.

A procissão saía da ermida da Mouraria passava pela Igreja da Madalena, Sé, Igreja de São Domingos e regressava de novo à ermida onde recolhia a imagem.

A Santa apresentava vestidos e mantos nupciais oferecidos pelas rainhas, como ainda hoje sucede com o vestido de casamento da rainha D. Maria Ana de Áustria, mulher de D. João V (1706-1750).

A fechar a procissão seguia sempre um conjunto de penitentes, aristocratas e povo, com velas e oferendas que cumpriam promessas e agradeciam à Virgem pela sua saúde e pelas graças recebidas.

Para além de Nossa Senhora ia também na procissão São Sebastião, também ele advogado das doenças e por ser o primitivo orago da ermida.

Ano após ano a procissão realizou-se até 1910, altura em que foi interrompida só se retomando a devoção em 1940, para em 1974  interromper-se uma segunda vez até 1981.

Actualmente a procissão incorpora as imagens de Santa Bárbara, Santo António, S. Sebastião e da Senhora da Saúde, percorrendo a Rua do Benformoso, Largo do Intendente Pina Manique,Travessa do Cidadão Gonçalves, Avenida Almirante Reis, Rua da Palma, Praça Martim Moniz, Rua D. Duarte, Praça da Figueira, Rua dos Condes de Monsanto, Poço do Borratem e Rua do Arco do Marquês de Alegrete.

Procissão do Senhor dos Passos da Graça

2018, 25 de fevereiro, 15h00

Itinerário: Igreja de São Roque - Largo Trindade Coelho - Rua dos Remédios - Rua do Museu da Misericórdia - Rua Garrett - Rua do Carmo - Rossio - Rua 1º de Dezembro - Largo de São Domingos - Rua da Palma - Praça Martim Moniz - Calçada dos Cavaleiros - Calçada de Santo André - Igreja da Graça