Início » Viver » Intervenção Social » Documentos Estratégicos e Planos

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE SAÚDE, QUALIDADE DE VIDA E BEM-ESTAR DE LISBOA (PDSQVBEL)

Foi aprovado por unanimidade na 174ª Reunião Pública da Câmara Municipal de Lisboa, no passado dia 26 de Julho de 2017, o Plano de Desenvolvimento de Saúde, Qualidade de Vida e Bem-Estar de Lisboa (PDSQVBEL), de acordo com a Proposta 581/CM/2017, subscrita pelo Vereador João Afonso :

“O Quadro Europeu de Referência de Políticas e Estratégias de Saúde “OMS, Saúde 2020” reconhece de forma peremptória a importância do papel dos governos locais no desenvolvimento da saúde, adoptando uma abordagem transversal e intersectorial ao conjunto dos níveis governativos e dos diferentes sectores da sociedade e uma dupla perspectiva de “Políticas de Saúde Pública” e de “Saúde em Todas as Políticas”, promovendo uma cidadania em saúde.

O Município de Lisboa, na qualidade de membro fundador da Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis (RPMS), assume uma agenda pró activa de diferentes políticas sectoriais que conjuntamente concorrem para a promoção da saúde e do bem-estar dos cidadãos, através do fomento de padrões de vida activa e saudável, baseados em lógicas de proximidade e de mobilidade saudável, e também na criação de um ambiente urbano e de espaços públicos de qualidade, e na melhoria das condições de acesso aos cuidados de saúde, intervindo de forma holística nos determinantes sociais, económicos e ambientais da saúde.

O presente Plano de Desenvolvimento de Saúde, Qualidade de Vida e Bem-Estar da Cidade de Lisboa (PDSQVBEL) corresponde à execução da “Acção 4b.2.1 – Elaborar e implementar o Plano Municipal de Saúde” do Plano de Acção do Pelouro dos Direitos Sociais (PADS).

O processo de elaboração do PDSQVBEL foi amplamente participado e realizado em estreita articulação com os diferentes pelouros e serviços municipais e com a Direcção Geral de Saúde (DGS), a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), os Agrupamentos de Centros de Saúde de Lisboa (ACES Lx), a Escola Nacional de Saúde Pública, a Fundação Para a Saúde – SNS, com o enquadramento dado pela partilha de boas práticas emanadas da Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis (RPMS).

O PDSQVBEL constitui deste modo um importante instrumento de planeamento da intervenção municipal para a prevenção e promoção da saúde, qualidade de vida e bem-estar, que se pretende integrador de diferentes políticas, acções e projectos a desenvolver com os parceiros, no sentido da promoção da literacia em saúde, da obtenção de efectivos ganhos em saúde para população de Lisboa, através da construção de uma Lisboa mais saudável.

Trata-se de um instrumento “aberto” capaz de enquadrar novos projectos provenientes das comunidades que serão aprovados, anualmente, conjuntamente com o Relatório Anual de Monitorização e Avaliação.

João Carlos Afonso
Vereador dos Direitos Sociais“


PDSQVBEL - Plano de Desenvolvimento de Saúde, Qualidade de Vida e Bem-Estar de Lisboa
 VOL I - PERFIL MUNICIPAL DE SAUDE DE LISBOA (15.7 MB)
 VOL II - REFERENCIAL DE ENQUADRAMENTO (7.0 MB)
 VOL III – PLANO DE ACÇÃO 2017-2020 (11.1 MB)

Plano de Desenvolvimento Social de Lisboa 2017-2020

Foi aprovado no passado dia 26 de Janeiro, na 27.ª sessão plenária do Conselho Local de Ação Social de Lisboa (CLAS-Lx), o Plano de Desenvolvimento Social de Lisboa 2017-2020.

O Plano de Desenvolvimento Social de Lisboa 2017-2020 é um compromisso estratégico a médio prazo, da cidade para a cidade — um traçar de rota para a igualdade e bem estar; um compromisso comum das organizações que na Rede Social de Lisboa assumem a responsabilidade, de forma partilhada, de trabalhar para uma cidade mais justa e digna.

 II Diagnóstico Social de Lisboa 2015-2016 (15.1 MB) (Versão Completa)
 Agenda Estratégica do Plano de Desenvolvimento Social (535 KB) 2017-2020
 Plano de Desenvolvimento Social 2017-2020 (25.6 MB) (Versão Completa com Anexos)

Documentos Estratégicos e Planos

A construção de uma política social deve assentar num amplo conhecimento e diagnóstico da realidade, de forma a estabelecer linhas de actuação estratégicas. A implementação de planos e programas sociais, enquanto instrumentos de gestão, tem um papel fundamental na concretização dos objectivos propostos, constituindo um desafio a sua adequação a uma realidade em constante mudança. Os planos podem ser de vários âmbitos de acordo com a população e território a que se destinam, nomeadamente nacional e municipal.