Início » Viver » Mobilidade » Mobilidade Ciclável

Mobilidade Ciclavel

Beneficiando de recursos financeiros provenientes do Quadro de Referência Estratégico Nacional, operacionalizado através do Programa Operacional Regional de Lisboa, num investimento total de 1,5M€ e uma comparticipação FEDER de 754.141,08€, melhorámos as seguintes pistas: Continuidade da pista ciclável Pupilos do Exército; Troço 01 - Parque Florestal de Monsanto / Parque da Quinta da Granja; Troço 02 - Quinta da Granja/Quinta de Mata Muros; Troço 12 - Entrecampos - Alvalade )

Tendo em conta o atual panorama crítico relativo à sobre-exploração dos combustíveis fósseis que tem conduzido ao aumento exponencial e consequente do preço do petróleo, surge a oportunidade para criar condições de integração e promoção de meios de transporte alternativos, não poluentes.

A bicicleta tem vindo, neste contexto, a conquistar o seu espaço na atualidade como uma alternativa ao transporte particular e um complemento ao transporte público, em percursos de curta distância (até 6 Km).

Presentemente verifica-se que a bicicleta já não é encarada apenas como instrumento de utilização lúdica ou recreativa, mas como transporte que promove a saúde pública e permite criar maiores condições de harmonia urbanística.

A sua utilização contribuirá para a oferta de mais um meio de transporte alternativo, individual e não poluente, em Lisboa com implicações extramunicipais, pelo efeito de massificação que se espera que aconteça nos restantes Concelhos da AML.

As novas políticas internacionais relativas ao uso da bicicleta como meio de transporte alternativo não poluente e a sua consequente circulação, em vias que não se cinjam apenas a pistas e corredores a elas dedicados, poderão levar a que se devam tomar medidas de sensibilização que tenham como objetivo incentivar o respeito por parte dos condutores de veículos motorizados, quando estes veículos não poluentes de duas rodas começarem a partilhar o espaço de circulação que habitualmente lhes era reservado em exclusivo.

Está em curso na CML um programa de redução do volume de tráfego na cidade de Lisboa, o que implica que a utilização conjunta de transportes públicos e bicicletas poderá desempenhar um papel fundamental na prossecução deste objetivo e também da acalmia dos fluxos de trânsito.

 

Percursos

A criação de uma rede de  Percursos e Corredores (1.7 MB), que ligue os principais parques e áreas verdes de Lisboa, é um investimento estratégico na área da mobilidade suave e no uso da bicicleta, como complemento do sistema de transportes local e regional.

Pretende-se dotar Lisboa de equipamentos de apoio ao uso da bicicleta, nomeadamente infraestruturas dedicadas, equipamentos de apoio ao estacionamento de bicicletas e ações de promoção e educação para o seu uso, permitindo criar uma Rede Ciclável contínua, de malha fechada, articulada com os Transportes Públicos e com o Património Ecológico e Cultural.

Esta rede, passível de expansão, articula-se em vários pontos com os concelhos vizinhos (Oeiras, Amadora, Odivelas e Loures), estando em alguns casos a ser trabalhada em articulação. Este investimento visa contribuir para a inversão da tendência da utilização do automóvel privado em deslocações de curta distância, onde a bicicleta é um modo de transporte competitivo, e promover a utilização da bicicleta em deslocações diárias e de lazer, dando particular importância à inter modalidade.

Esta primeira fase aposta na criação de infraestruturas dedicadas ao uso da bicicleta, que permitam ligar áreas estratégicas, formando uma primeira estrutura de circulação em bicicleta de forma segura e cómoda, como também colmatar descontinuidades existentes em alguns percursos na Cidade, permitindo desta forma pôr a funcionar em rede, áreas fundamentais da cidade, quer residenciais, quer mistas e de serviços, quer ainda ligando áreas verdes de recreio e lazer e toda a frente ribeirinha, atualmente fragmentadas e descontinuadas e dessa forma, muitas vezes subaproveitadas.

O tipo de investimento nesta primeira fase permite construir infraestruturas dedicadas para bicicletas, motivando a construção de um corredor de requalificação urbana, que contribui para a acalmia de tráfego viário e para a segurança pedonal, permitindo a incorporação de vegetação em meio urbano, constituindo em alguns casos a estrutura base de corredores verdes, em alguns casos de caráter supramunicipal , uma vez que se integram na Estrutura Ecológica Metropolitana.

Os percursos cicláveis previstos pretendem abranger o utilizador de bicicleta independentemente da sua classe etária ou condição física, uma vez que se enquadram nos critérios de conforto e qualidade geralmente aplicados a percursos cicláveis na Europa, regendo-se por princípios adequados em termos de declive, pavimentação, sinalização e adequação aos requisitos de segurança.

A existência de uma primeira rede de infraestruturas com qualidade para a circulação por bicicleta em Lisboa é condição urgente para o aumento do seu uso na Cidade e, desta forma, para a criação de condições para a generalização do seu uso.

Estacionamento

Existem quarenta novos locais de estacionamento, com capacidade para mais de 300 bicicletas em locais vigiados e estratégicos da cidade (mercados, espaços culturais, zonas comerciais, interfaces de transportes públicos, parques urbanos).

A segurança no estacionamento depende, em grande parte, da forma como a sua bicicleta é presa.

Veja o  filme "Como prender a bicicleta"

Segurança

Regras Básicas de Segurança para Circular de Bicicleta

  • Cumpra as regras de trânsito, previstas no Código da Estrada;
  • Circule no sentido do trânsito;
  • Circule à direita, em fila e em linha reta, exceto se for virar à esquerda ou estiver a ultrapassar;
  • Qualquer condutor, incluindo ciclistas, têm prioridade em cruzamentos não sinalizados verticalmente se se  apresentar pela direita;
  • O ciclista tem prioridade quando circula em rotundas e nas passagens para velocípedes;
  • Para sua segurança recomenda-se o uso de capacete e luvas;
  • À noite use luzes de presença, colete refletor e roupas de cores vivas para ser visto;
  • Mantenha uma distância de segurança aos carros estacionados. O abrir das portas dos automóveis estacionados pode originar acidentes graves;
  • Quando chover, circule com cuidado extra e atenção redobrada;
  • Não use auscultadores ou telemóvel quando estiver a circular de bicicleta;
  • Atravesse carris na diagonal para evitar eventuais quedas;
  • No passeio e em passadeiras exclusivas para peões, circule a pé com a bicicleta pela mão;
  • Dê sempre prioridade aos peões;
  • Se circular na estrada, pare nas passadeiras e respeite a sinalização de trânsito;
  • As crianças, quando circularem de bicicleta, devem ser acompanhadas por adultos de forma a aumentar a sua segurança;
  • Não ande de bicicleta se beber bebidas alcoólicas;
  • Mantenha a sua bicicleta afinada e verifique sempre o seu estado antes de a usar;
  • Conduza de forma defensiva e use sinais sonoros para anunciar a sua marcha;
  • Seja, acima de tudo, um ciclista responsável e respeite os restantes utentes da via pública;
  • Utilize os parques de estacionamento próprios para bicicletas;
  • Em zonas mistas circule com precaução e dê prioridade ao peão.

A Câmara Municipal de Lisboa em colaboração com a Federação de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB) produziram três vídeos que procuram apoiar quem circula ou pretende circular de bicicleta em Lisboa.

 Vídeo - Como prender a bicicleta

 Vídeo - A bicicleta nos transportes coletivos

 Vídeo - De bicicleta na cidade

Mapa Lisboa Ciclável

Aceda aqui ao site  Lisboa Ciclavel onde poderá obter informações sobre a localização das vias e percursos cicláveis e parques de estacionamento para bicicletas.

Uso Partilhado

À semelhança de outras capitais europeias e de inúmeras cidades mundiais, Lisboa pretende apostar numa rede de bicicletas de uso partilhado, complementar ao Transporte Público.

Esta rede vai permitir um acesso generalizado da população a bicicletas públicas, mediante um pagamento diário, mensal ou anual, e poderá alterar a forma como muitos lisboetas se deslocam no interior da cidade.

É nesse sentido que estão neste momento a ser estudadas soluções para que, num futuro próximo, se proceda à criação, implementação e financiamento e gestão de uma rede de bicicletas de uso partilhado complementar à rede de transportes públicos de Lisboa.

Condução em Meio Urbano

A Câmara Municipal de Lisboa, através de protocolo estabelecido com a Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB), promove, periodicamente, cursos de condução de bicicleta em meio urbano.

Estes cursos destinam-se a maiores de 14 anos e têm um total de 8 horas por nível de aprendizagem. O objetivo é dotar os participantes de capacidade de circulação em bicicleta, preparando-os para utilizar a bicicleta no quotidiano na cidade de Lisboa, em segurança. Existem dois níveis de aprendizagem: noções básicas e condução em estrada.

Os cursos dividem-se em: nível 1, para pessoas que desejam apenas aprender a andar de bicicleta (quatro sessões de 2 horas); nível 2, para pessoas que já sabem andar de bicicleta mas que gostariam de aprender a andar na estrada (duas sessões de 4 horas).
Caso os participantes não disponham de equipamento, a organização disponibiliza bicicleta e capacete.

A realização destes cursos será oportunamente comunicada através dos meios de divulgação da CML e no site de internet da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta -  www.fpcub.pt