Início » Viver » Mobilidade » Urbana

Plano de Ação de Mobilidade Urbana Sustentável da Área Metropolitana de Lisboa

A elaboração do “Plano de Ação de Mobilidade Urbana Sustentável da Área Metropolitana de Lisboa” (PAMUS-AML), resulta da obrigatoriedade emanada do Acordo de Parceria entre a Comissão Europeia (CE), o Governo Português e dos Programas Operacionais para a elaboração de planos desta natureza. Resulta ainda da necessidade de elaborar uma estratégia de intervenção coerente à escala metropolitana para o período de vigência do próximo Quadro Comunitário de Apoio, enquadrando os projetos dos dezoito municípios no domínio da mobilidade urbana sustentável e já candidatados no  PEDU. Para além das questões anteriormente referidas a elaboração dos PAMUS é uma aposta importante para a promoção de padrões de mobilidade mais sustentáveis, tendo em consideração que:

  1. As últimas décadas foram marcadas pelo acréscimo significativo das viagens motorizadas, em especial nas áreas metropolitanas e nos principais centros urbanos, assim como pela alteração dos padrões de mobilidade fruto do desenvolvimento económico, tecnológico e social;
  2. A melhoria das infraestruturas rodoviárias e o aumento significativo da taxa de motorização que se refletiu no crescimento significativo das viagens motorizadas, nomeadamente das viagens realizadas em transporte individual e no decréscimo da utilização dos transportes públicos e modos suaves;
  3. O modelo de ordenamento do território assente na progressiva dispersão urbana de cariz residencial e na descentralização das atividades e serviços é uma tendência que se mantêm e que tem vindo a contribuir para os padrões de mobilidade atuais;
  4. A predominância de padrões de mobilidade assentes na utilização do transporte individual (TI) acarreta importantes impactes, em especial em meio urbano, quer ao nível da degradação da qualidade de vida da população, pela ocorrência frequente de congestionamentos e degradação do espaço público por apropriação pelo automóvel, quer ao nível ambiental com a degradação da qualidade do ar e aumento dos níveis de ruído;

Com a elaboração do PAMUS-AML, a Área Metropolitana de Lisboa (AML) fica dotada de um documento estratégico que oriente a sua atuação no horizonte do plano de ação, e que se constituirá igualmente como um instrumento obrigatório para a candidatura de projetos à prioridade 4.5 do Portugal 2020.

Consulte a  documentação relativa ao Plano (de Ação) Mobilidade Urbana Sustentável do Município de Lisboa.

Condições de circulação dos veículos afetos à atividade de Animação Turística

Os veículos afetos à atividade de Animação Turística têm novas regras de circulação, conforme Despacho n.º 123/P/2015. Este despacho visa assegurar a tomada de um conjunto de medidas que garantam melhor convivência entre a atividade destas empresas e a vivência urbana dos demais cidadãos, designadamente em matéria de sinalização e administração do domínio público municipal, e contribuam também para a melhoria das condições desta atividade, enquanto é ultimado o regulamento que a enquadrará.


Consulte o  Despacho n.º 123/P/2015 (162 KB) 

Consulte as plantas onde constam as vias onde fica proibido o acesso de viaturas afetas à atividade de animação turística:
 Freguesia de Santa Maria Maior (14.1 MB)
 Freguesia da Misericórdia (6.6 MB)
 Freguesia de Santo António (2.1 MB)

PROJETO PILOTO BUS+MOTO

 

Circulação de motociclos e ciclomotores em corredores BUS

Os corredores BUS+MOTO podem constituir uma solução favorável no âmbito do desempenho e gestão do tráfego rodoviário. No entanto, devem ser sujeitos a monitorização e avaliação, nomeadamente dos efeitos na gestão do tráfego e da segurança rodoviária, bem como a procura dos mesmos.

A decisão de permitir a circulação partilhada nas vias de trânsito reservadas à circulação de determinados transportes, nomeadamente públicos (faixas BUS) foi delegada em cada Município, tendo a autarquia de Lisboa com base nesta decisão elaborado a  Proposta nº 121/CML/2016 (1.6 MB). A proposta aprovada em Reunião de Câmara realizada em 23 de março de 2016, selecionou três segmentos da rede viária de Lisboa (2,3 Km) – Corredores BUS, com características diversas (Av. Calouste Gulbenkian, Av. de Berna e Rua Braamcamp) para um projeto-piloto que teve início em dezembro de 2016.

No decurso do projeto piloto e para avaliar a fase experimental foram realizados inquéritos aos utentes dos corredores BUS: motociclistas e motoristas de autocarros e táxis por forma a apurar-se o grau de satisfação e identificar eventuais problemas a resolver na transição para as novas condições de utilização dos corredores BUS.

Concluída a fase experimental, o projeto piloto BUS&MOTO foi alargado a outros corredores BUS através da aprovação, por unanimidade, em reunião de câmara pública de 28 de junho da  Proposta nº 442/CML/2017 (761 KB). Este alargamento considera 93 corredores BUS que passarão a ter circulação de motociclos e ciclomotores.