Pagina principal

Largo da Graça

LOCALIZAÇÃO DA ÁREA DE INTERVENÇÃO

Freguesia: SÃO VICENTE

Bairro: GRAÇA

A área a intervir abarca todo o espaço aberto a nascente e sul do Convento da Graça e estende-se aos troços superiores da Rua Damasceno Monteiro (até ao cruzamento com a calçada do Monte) e da Rua da Pereira (até ao cruzamento com a Vila Berta). A zona do largo a nascente do Convento é limitada a sul pela Rua Voz do Operário, pela Rua da Verónica, pelo edifício do Regimento Sapadores Bombeiros, pela frente de edifícios que inclui a Escola Oficina nº1 e estende-se até à travessa de S. Vicente; e a norte pela rua da Graça. A zona do largo a sul do Convento abarca o miradouro Sofia de Mello Breyner, o jardim Augusto Gil e todo o espaço até às calçadas da Graça e das Mónicas.

Área  de intervenção aproximada: 15.620m².

Início Obra: 20 de junho de 2016

Obra Concluída (junho de 2017)

Empreiteiro: Consórcio Vibeiras

                        Luis Frazão

 

 

  • Valorizar o Largo da Graça como espaço emblemático do bairro da Graça e da cidade;
  • Criar uma identidade contínua para todo o espaço;
  • Valorizar os elementos de memória associados à muralha Fernandina;
  • Reforçar a ligação pedonal do convento ao miradouro e ao Jardim Augusto Gil;
  • Restauro integral do Jardim Augusto Gil;
  • Valorizar o Terminal do Elétrico 28 com a criação da “Praça do eléctrico 28”.
  • Melhorar a mobilidade pedonal e das áreas de estadia.

O concurso de empreitada para a requalificação do espaço público do Largo da Graça foi aprovado em Reunião de Câmara do dia 9 de setembro de 2015 (Proposta n.º 515/2015).

 

A adjudicação da empreitada foi aprovada na Reunião de Câmara de 29 de janeiro de 2016 (Proposta n.º 36/2016).


Na sequência da aprovação do programa UMA PRAÇA EM CADA BAIRRO, em reunião de Câmara de 28 de maio de 2014, passou-se para uma recolha de contributos por parte da população mais diretamente ligada aos locais de intervenção.

Com o processo de participação pretendeu-se obter, por parte dos cidadãos, uma avaliação sobre diferentes questões pertinentes na vivência do espaço público, com implicações tanto na concretização do desenho urbano, como na definição de prioridades de requalificação em cada praça, obter igualmente um diagnóstico da situação existente, recolher ideias e sugestões para a zona, apoiar a definição das prioridades de intervenção e integrar nos projetos os resultados em desenvolvimento. 

Através da plataforma digital do sítio da CML, foram submetidas diversas participações online para o Largo da Graça, entre os meses de janeiro e fevereiro de 2015.

Foi também realizada uma  sessão pública, nas instalações da igreja da Graça, no dia 5 de fevereiro de 2015, com o objetivo de ouvir a população sobre os problemas e as sugestões que identificam para a área de intervenção.

 

Da análise das preocupações e sugestões apresentadas, salientam-se as seguintes:

TRANSPORTES

Mais Transportes Públicos em alternativa ao elétrico 28;

Relocalização da paragem do Elétrico 28 no sentido Graça/Estrela;

Necessidade de garantir transporte público noturno (para além dos Táxis);

Manter o autocarro 34 ao fim de semana;

Manter Praça de Táxis;

Acabar com estacionamento “caótico”;

Impedir o estacionamento abusivo de reboques;

Garantir o estacionamento para residentes e visitantes.

 

 

CIRCULAÇÃO E MOBILIDADE

Reestruturação do trânsito;

Ordenamento do estacionamento automóvel;

Ampliação das áreas pedonais;

Criação de passeio lateral nas ruas Damasceno Monteiro e Rua da Pereira;

Implantação de passadeiras seguras;

Implantação de sistema de mobilidade pedonal confortável e acessível ao longo dos passeios;

Acesso pedonal ao Jardim da Cerca a partir do Largo da Graça.

 

OUTRAS SUGESTÕES

Recuperação do quiosque antigo;

Retirar a bomba de gasolina;

Ampliar a área de intervenção à Rua da Graça;

Instalação de rede de Ecopontos eficaz;

Recuperar os sanitários públicos;

Garantir a higiene urbana;

Controlar o Horário dos estabelecimentos noturnos;

Instalação de equipamento de manutenção física;

Impedir a proliferação de pilaretes.

Criação de uma unidade visual nos espaços diversificados que constituem o Largo;

Dinamização comercial e turística;

Melhoria da acessibilidade pedonal através do aumento da largura dos passeios - onde possível -
introdução de pavimentos confortáveis e seguros em articulação com a calçada de vidraço existente;

Criação e ampliação de espaços de estadia, também associados ao elétrico;

Criação de zonas de esplanada associadas ao comércio de restauração;

Disciplinar o estacionamento;

Criar condições de segurança e conforto no entroncamento com a Rua Damasceno Monteiro através
da alteração da geometria, permitindo a criação de passeio.

Forças Fraquezas
Grande centralidade e vitalidade;
Comércio local apresentando grande
vitalidade;
Área de atração turística.


Edificado geralmente degradado, necessitando
reabilitação;
Estacionamento anárquico;
Zonas de estadia de expressão muito reduzida;
Grande dimensão das zonas de trânsito automóvel
em detrimento das pedonais.

Oportunidades Ameaças
Programa de ação aprovado no orçamento
participativo de 2013;
Aproveitar a sinergia criada pela execução do
parque na encosta da Mouraria;
Aproveitar as sinergias do aumento da procura
turística da Cidade e em especial da linha do
elétrico 28.

Estacionamento anárquico;
Confusão na circulação automóvel e insegurança
nos atravessamentos pedonais.